Índia: autoridades pedem que população não use estrume contra a Covid

Material é usado em ritual para aumentar imunidade e combater coronavírus. Há perigo de contaminação com outras doença

atualizado 11/05/2021 20:21

Indianos passam estrume no corpo contra covid-19Reprodução/YouTube

Autoridades de saúde da Índia pediram que a população não use estrume bovino como tratamento contra a Covid-19. Segundo relatos, além de espalhar o material pelo corpo semanalmente, algumas pessoas o têm ingerido.

Na Índia, a vaca é considerada um animal sagrado e é comumente parte de rituais. No caso da Covid-19, até mesmo alguns médicos locais orientam que os indivíduos passem uma mistura de urina com estrume e esperem secar. Depois, todos se abraçam e praticam yoga. Por fim, os participantes se lavam com leite.

“Não há evidência concreta de que estrume ou urina bovina aumentem a imunidade contra a Covid-19”, afirmou o presidente da Associação Indiana de Médios a Reuters. O médico ainda reiterou que há riscos de contaminação com outras doenças em contato com o estrume.

Covid-19 na Índia

Na segunda-feira (10/5), a Índia registrou mais de 22,6 milhões de casos de Covid-19 e 246.116 mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Dados preliminares enviados à Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que a variante B.1617 do coronavírus, originada na Índia, tem capacidade de transmissão maior do que a cepa original do vírus.

Últimas notícias