Furacão Dorian chega às Bahamas e segue rumo à costa leste da Flórida

Autoridades advertiram moradores a se preparar para o efeito devastador dos ventos das intensas chuvas

EFE/Divulgação NasaEFE/Divulgação Nasa

atualizado 01/09/2019 20:49

O furacão Dorian chegou às Bahamas, no Caribe, na categoria 5, a mais alta a ser registrada, nesse domingo (1º/09/2019). Com ventos de 295 km/h, o Dorian chegou às Ilhas Ábaco, no norte das Bahamas, às 13h40 (horário de Brasília). Autoridades advertiram moradores a se preparar para o efeito devastador dos ventos das intensas chuvas. A tempestade ameaça uma região mais ampla do sudeste dos Estados Unidos do que o antes projetado.

Dorian deve seguir perto da costa leste da Flórida a partir do fim dessa segunda-feira (02/09/2019). Se tocará ou não o território norte-americano é algo incerto. Alguns modelos de previsão mostravam no fim do sábado que o furacão seguia para o norte e margearia a costa, enquanto se dirigirá para a Geórgia e as Carolinas do Sul e do Norte até o meio da semana, provocando enchentes e fortes ventos.

O Centro Nacional de Furacões advertiu que Dorian pode ainda causar grandes estragos na costa da Flórida e que grandes áreas dessa costa seguem em perigo. Diretor do centro, Ken Graham afirma que os modelos mais recentes mostram menos chance de que o furacão toque terra na Flórida do que o antes previsto.

Ainda assim, ele comenta que há uma incerteza significativa na previsão e diz que Dorian se move lentamente e é muito perigoso e deve provocar enchentes e fortes rajadas de vento na Flórida, na Geórgia e nas Carolinas do Norte e do Sul ao longo da semana.

Governador da Flórida, Ron DeSantis pediu que os moradores locais sigam atentos e obedeçam às orientações das autoridades. “Mesmo que não atinja diretamente a Flórida, esta é uma tempestade grande, poderosa”, advertiu. “Ainda haverá impactos significativos mesmo se a tempestade seguir perto da costa.”

Potencial catástrofe
Nas Bahamas, o Ministério de Turismo e Aviação afirmou que os efeitos devem ser irregulares pelo arquipélago de centenas de ilhas do Atlântico. O aeroporto e muitos resorts na capital, Nassau, seguiam abertos nesse sábado, mas ilhas no noroeste se preparavam para uma potencial catástrofe, segundo autoridades.

O presidente norte-americano, Donald Trump, recebeu no sábado relatos a cada hora sobre o furacão. Ele passou parte do dia em seu clube de golfe na Virgínia, antes de retornar a Camp David, onde está neste fim de semana.

Pelo Twitter, ele pediu às pessoas da região que garantam sua segurança e repassou informações de segurança de autoridades federais. Trump cancelou uma viagem planejada neste fim de semana à Polônia para monitorar o furacão, mandando o vice Mike Pence para representá-lo.

Últimas notícias