Equador e Covid-19: urubus no céu de Guayaquil e fumaça de corpos

Um engenheiro brasileiro que mora há décadas naquele país foi o responsável por fazer esse relato

atualizado 16/04/2020 17:41

Um engenheiro brasileiro, que pediu para não ser identificado, fez um relato bem forte ao G1 sobre a situação que o Equador passa durante a pandemia do coronavírus.

“Vejo urubus no céu de Guayaquil e à tarde a fumaça dos corpos sendo queimados em um dos cemitérios da cidade. Agora, estou vivendo em um filme de terror, apocalíptico”, foi assim que ele descreveu a situação no país em que vive há décadas.

Para retratar a realidade do Equador, o engenheiro gravou um vídeo nesta quarta-feira (14/04).

Veja:

Guayaquil possui mais de de 2 milhões de habitantes e é o motor e centro econômico do Equador. Atualmente, há 4 mil pacientes com a Covid-19 e hospitais superlotados antes mesmo de atingir o pico no número de infectados.

Cynthia Viteri, prefeita de Guayaquil, afirma que não há espaço nem para vivos, nem para mortos nos hospitais e cemitérios da cidade. Como os sistemas de saúde e funerário entraram em colapso, cadáveres demoram a ser recolhidos.

“Há corpos abandonados por famílias em vias públicas. Estão à espera da força-tarefa composta por militares e policiais militares criada pelo governo de Lenín Moreno”, ela relata.

Últimas notícias