Coronavírus: mortes na Europa ultrapassam marca de 90 mil

Espanha registrou aumento no número diário de mortes e ultrapassou os 19 mil mortos por Covid-19

atualizado 16/04/2020 9:52

A Espanha voltou a registrar aumento no número de mortes diárias provocadas pelo novo coronavírus. De acordo com o boletim diário, 551 morreram em decorrência da covid-19 nas últimas 24 horas, o que fez o país atingir a marca de 19.130 óbitos.

O país ibérico é o segundo em número de mortos na Europa, continente mais afetado pela pandemia até o momento. De acordo com um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP, com base em dados oficiais divulgados pelos países, 90.180 pessoas já morreram no continente por covid-19. O número representa 65% do total de óbitos no mundo até o momento.

Com 21.645 e 19.130 mortes, respectivamente, Itália e Espanha são os países mais castigados na região, seguidos por França, com 17.167 perdas, e o Reino Unido, com 12.868. O país mais afetado do mundo no momento são os Estados Unidos. No mundo todo, já são 137.499 mortes registradas de acordo com a contagem da agência.

O balanço oficial do ministério da Saúde espanhol tem sido questionado no que diz respeito a contagem das vítimas. Fontes nas regiões de Madri e Catalunha indicaram que o número de mortos é maior do que o divulgado pelo governo.

De acordo com autoridades das duas regiões, que somam juntas cerca de 56% do total de vítimas no país, a recontagem de mortos não tem sido suficiente em casas de repouso e em residências.

Oficialmente, Madri somava nesta quinta-feira 6.877 mortes, mas, na quarta, o vice-presidente regional, Ignacio Aguado, disse que na realidade poderiam ser mais de 10 mil. Na Catalunha, o governo regional anunciou na quarta uma mudança no método de recontagem, que aponta um número em torno de 7 mil mortos.

“Os dados oferecidos até agora eram oficiais e contabilizavam, através dos hospitais catalães, as pessoas mortas nessas instituições. Mas, a partir de hoje, também serão divulgados dados de mortes em residências e casas de repouso de toda a Catalunha”, indicou o governo regional.

Últimas notícias