Após 12 dias, termina o funeral público da rainha Elizabeth II

O corpo da monarca foi enterrado, em cerimônia privada, no Castelo de Windsor, uma das residências oficiais da família real na Inglaterra

atualizado 19/09/2022 19:28

Os portadores do caixão carregam o caixão da Rainha Elizabeth II com a Coroa Imperial do Estado descansando no topo da Capela de São Jorge em 19 de setembro de 2022 em Windsor, Inglaterra. O serviço de confissão na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, ocorreu após o funeral de estado na Abadia de Westminster. Seguiu-se um enterro privado na Capela Memorial do Rei George VI. A rainha Elizabeth II morreu no Castelo de Balmoral, na Escócia, em 8 de setembro de 2022, e é sucedida por seu filho mais velho, o rei Carlos III Jeff J Mitchell/Getty Images

Londres – O funeral público de 12 dias da rainha Elizabeth II chegou ao fim, nesta segunda-feira (19/9). Após missa na Capela de St George, o corpo da monarca foi enterrado, em cerimônia privada, no Castelo de Windsor, uma das residências oficiais da família real no interior da Inglaterra.

O corpo da rainha seguirá para um anexo à edificação principal, construído em memória ao rei George VI. Lá estão enterrados os pais da rainha e o marido da soberana, o príncipe Philip. As cinzas de sua irmã, a princesa Margaret, também se encontram no local.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

O último dia de homenagens à monarca foi marcado por cortejos militares, cerimônias religiosas e muita emoção da família real britânica. O rei Charles III chorou durante a missa na Abadia de Westminster, em Londres, e a princesa Charlotte foi fotografada sendo consolada pela mãe, a princesa de Gales, durante uma das duas procissões pelas ruas da capital inglesa.

O caixão da rainha Elizabeth chegou à capela de St George após cortejo de uma hora comandado pelo rei Charles III em conjunto com as Forças Armadas britânicas. Milhares de ingleses acompanharam o trajeto, aplaudindo e jogando flores no carro que carregava o corpo.

Durante a cerimônia religiosa, funcionários da família real tiraram a coroa e o cedro da rainha de cima do caixão e posicionaram no altar da capela – o ato simboliza a transição para o reinado de Charles. Além da joias, os parentes da monarca colocaram um arranjo com flores colhidas nos palácios oficiais e uma cartão escrito pelo filho mais velho de Elizabeth.

 

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Chefes de Estado de 50 países e a família real britânica se reuniram na Abadia de Westminster, em Londres, pela manhã, para uma missa em tributo à falecida monarca. Após a cerimônia, um cortejo que durou uma hora seguiu o caixão de Elizabeth II pelo centro da capital inglesa com destino ao Palácio de Buckingham.

O caixão da rainha passou pelos principais pontos turísticos de Londres até ser colocado no carro a caminho de Windsor. De acordo com a imprensa local, 2 milhões de ingleses foram às ruas da metrópole homenagear a soberana.

O cortejo foi liderado pelo rei Charles III. O monarca completou o trajeto acompanhado pelos irmãos: a princesa Anne, o príncipe Andrew e o príncipe Edward. Os filhos do rei, os príncipes William e Harry, também estavam no desfile. Ainda participaram da cerimônia o conde de Snowdon, sobrinho da rainha, e o duque de Gloucester, primo de Elizabeth .

A rainha consorte, a princesa de Gales, o príncipe George e a princesa Charlotte seguiram de carro atrás do cortejo.

Missa de Estado

Durante o funeral de Estado na Abadia de Westminster, o arcebispo de Canterbury saudou “a vida abundante da rainha dedicada ao amor e ao serviço público”. E ainda acrescentou: “Ela era uma monarca alegre e presente da vida de milhões de pessoas”.

Os 2 mil convidados da família real fizeram, após o fim da cerimônia, dois minutos de silêncio em homenagem à rainha. Os presentes emendaram o momento com o hino do Reino Unido: Deus Salve o Rei. O atual monarca, o rei Charles III, emocionou-se e permaneceu calado.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
0
Convidados

Chefes de Estado de todo o mundo estavam presentes na cerimônia, inclusive o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PL), acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro. Quando questionado sobre a influência desta viagem às vésperas das eleições, Bolsonaro retrucou: “Você acha que eu vim aqui fazer política?”.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, também compareceu à igreja para prestigiar a rainha. A atual primeira-ministra da Inglaterra, Liz Truss, e os antecessores dela marcaram presença na Abadia — inclusive Boris Johnson, Gordon Brown, James Cameron e Tony Blair.

Cortejo real

O corpo da rainha foi transportado do Westminster Hall, onde permaneceu por cinco dias exposto ao público, até a Abadia às 6h44 (horário de Brasília). O cortejo que contou com membros da família real e das Forças Armadas do Reino Unido durou 16 minutos.

Os filhos mais velhos do príncipe de Gales, George e Charlotte, fizeram parte do cortejo dentro da igreja e sentaram na primeira fila. Em cima do caixão da rainha, a família real colocou a coroa dela, um arranjo feito com flores dos palácios reais e um cartão escrito pelo rei Charles.

 

 

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

 

Funeral de 12 dias

A rainha Elizabeth II morreu em 8 de setembro, no Castelo de Balmoral, na Escócia. O caixão da monarca passou quatro dias no país antes de seguir para a Inglaterra. Em Londres, o caixão permaneceu cinco dias exposto no Westminster Hall, para visitação pública.

Ingleses anônimos e famosos passaram até 14 horas em pé para prestar homenagem final à monarca que permaneceu 70 anos como chefe de Estado do Reino Unido. As filas chegaram a ter 8 km de extensão.

Mais lidas
Últimas notícias