Em rede nacional, Maduro pede aos militares que combatam “golpistas”

Às 5h da manhã desta quinta-feira (02/05/2019), o presidente venezuelano transmitiu mensagem ao país, em rede nacional de televisão

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 02/05/2019 12:32

Esta quinta-feira (05/05/2019) começou com um pronunciamento do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Às 5h da manhã no horário local (6h em Brasília), ele transmitiu uma mensagem ao país, em rede nacional de televisão, e pediu aos militares que acabem com as “tentativas golpistas”, ao se referir ao líder oposicionista, Juan Guaidó.

A transmissão ocorreu no Forte Tiuna, quartel da Força Armada Nacional Bolivariana. A cerimônia teria contado com a presença de 4,5 mil soldados militares, segundo informações do governo. “Estamos em combate para desarmar qualquer traidor, qualquer golpista”, afirmou o presidente do país.

Maduro disse, ainda, que militares apoiadores do ato promovido por Juan Guaidó perceberam que foram “enganados”. O presidente convocou uma “marcha militar” até a sede do Ministério da Defesa venezuelano, ao lado de oficiais e soldados. Toda a ação foi transmitida em perfil oficial de Maduro no Twitter. Também na rede social, o presidente afirmou que os integrantes da Força Armada Nacional Bolivariana estão “mais leais que nunca à Pátria”.

Enquanto isso, para esta quinta-feira (02/05/2019), o autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, convocou a população para fazer uma greve geral, com paralisações gradativas. Segundo ele, haverá manifestações diárias até Nicolás Maduro deixar o poder.

Entenda o caso
Na última terça-feira (30/04/2019), o líder oposicionista convocou a população para ir às ruas, após afirmar que teve apoio das Forças Armadas para “acabar com a usurpação de poder” do governo Maduro. Os venezuelanos ocuparam alguns pontos da capital, Caracas, o que provocou a reação do presidente e um clima de tensão na cidade.

Manifestações ocorrem na capital venezuelana, Caracas, e em outras cidades desde então. O líder da oposição a Maduro disse que é chegada a hora de acabar com a “usurpação do poder” e exige a saída do presidente.

Veja imagens das manifestações no país:

Últimas notícias