Maior mina de diamantes do mundo fechará em 2020, após 40 anos

Grupo que administra o local diz que já se esgotou a oferta de pedras economicamente viáveis

Divulgação/Grupo Rio TintoDivulgação/Grupo Rio Tinto

atualizado 12/07/2019 10:37

Famosa por produzir gemas rosas e vermelhas, a maior mina de diamantes do mundo está programada para fechar em 2020, após quase quatro décadas de extração. A decisão é do Grupo Rio Tinto, mineradora responsável pelo local, que afirma que a mina de Argyle já esgotou sua oferta de pedras economicamente viáveis.

Argyle está localizada a cerca de 2,6 mil quilômetros a nordeste da cidade de Perth, no oeste da Austrália. Segundo Arnaud Soirat, diretor de cobre e diamante do grupo Rio Tinto, após pararem as operações, a empresa deve começar a reabilitação do local.

Conhecida como a fonte de aproximadamente 90% dos diamantes rosa do mundo, Argyle foi por anos um lugar cobiçado por conta das pedras cor de rosa a magenta, que dominam entre os preços mais altos da indústria.

A mina também tem a maior produção de diamantes em volume e é isso que coloca a operação no centro de todos os olhos do setor. Corretores, bancos e concorrentes preveem que o fechamento pode impulsionar os preços dessas gemas, que vinham caindo desde 2011, segundo o jornal El País, que cita dados da PolishedPrices.com.

O Grupo Rio Tinto já encerrou trabalhos no Zimbábue, em 2015, e na Índia, em 2016. Com o encerramento da mina australiana, restará apenas a mina de Diavik, no Canadá, que também deve ser fechada, em 2025. O mercado de diamantes corresponde apenas a 2% do lucro da empresa, que tem como principal matéria-prima o minério de ferro.

Últimas notícias