Covid: 37% das pessoas têm sintomas 6 meses após infecção

Sintomas mais comuns são problemas respiratórios, dores abdominais, fadiga, ansiedade e depressão

atualizado 28/09/2021 19:03

Teste covid idosoGetty Images

Pesquisadores da University of Oxford, do National Institute for Health Research (NIHR) e do Oxford Health Biomedical Research Center (BRC) chegaram à conclusão de que uma em cada três pessoas contaminadas pela Covid-19 terá pelo menos um sintoma da doença a longo prazo.

A pesquisa foi feita com mais de 270 mil pessoas que estão se recuperando do coronavírus nos Estados Unidos. Com isso, os pesquisadores descobriram que 37% dos pacientes apresentavam pelo menos um sintoma de Covid entre três e seis meses depois da infecção.

De acordo com o estudo, os sintomas mais relatados foram problemas respiratórios, dores abdominais, fadiga, dores pelo corpo, ansiedade e depressão.

Veja quais são os mais frequentes:

Os especialistas mostram ainda que “o risco de apresentar sintomas da Covid longa foi maior em pacientes com a forma mais grave da doença e também entre mulheres e adultos jovens”.

Segundo o estudo publicado na revista PLOS Medicine, as mulheres são as mais afetadas com os sintomas da “Covid longa”. A incidência também é maior nas pessoas hospitalizadas.

A pesquisa aponta ainda que as pessoas mais velhas e homens tinham mais dificuldades respiratórias e problemas cognitivos, enquanto jovens e mulheres apresentavam mais dores de cabeça, sintomas abdominais e ansiedade ou depressão.

Por outro lado, pessoas internadas em hospitais são mais propensas a sofrer problemas cognitivos, como névoa cerebral e fadiga, em comparação com quem não precisa ser internado. Os pacientes que não precisaram de cuidados hospitalares foram mais propensos a ter dores de cabeça do que aquelas que precisaram ser internadas.

Os pesquisadores também apontaram que muitos pacientes tiveram mais de um sintoma de Covid longa.

Últimas notícias