Covid-19: Alemanha e Holanda registram queda no número de mortes

Internações e diagnósticos positivos também estão em declínio em ambos os países europeus

atualizado 06/04/2020 20:04

Dois países europeus tiveram queda nos números de óbitos e internações causados pelo coronavírus nesta segunda-feira (06/04), segundo boletins oficiais divulgados por órgãos de Saúde locais. A Holanda teve, nas últimas 24 horas, 101 mortes devido à pandemia. A Alemanha, desde sexta-feira (04/04) adicionou 92 mortes ao relatório oficial de controle sanitário.

O boletim desta segunda-feira, divulgado pelo Instituto Robert Koch (IRK) – agência do governo federal alemão, responsável pela prevenção e controle de doenças – mostra que foram contabilizados 3.677 novos casos no país nesta segunda. O número de fatalidades já chega a 1.434, com 95.391 infectados.

Apesar de ainda ser bastante preocupante, a quantidade de pessoas contaminadas e mortas caiu, em relação aos dias anteriores. No domingo, por exemplo, foram registradas 5.936 infecções, 146 a menos que no sábado, quando foram protocoladas 6.082 novos casos. Na sexta, esse número foi ainda maior: 6.174, com 1.342 mortes até então.

Apesar de o IRK ter divulgado pouco mais de 1,4 mil mortes, jornais de grande circulação na Alemanha, como o Suddeutsche Zeitung, trazem cifras maiores, coletadas de plataformas on-line, com atualização sincronizada às autoridades de saúde estaduais. Segundo o Gisanddata, por exemplo, havia 1.735 mortos na Alemanha até a última atualização desta reportagem.

O número de paciente diagnosticados com Covid-19 e recuperados da doença no país é de 28,7 mil pessoas.

Holanda

Em território holandês, as autoridades de Saúde falam em “achatamento” dos números de mortes e contaminações e defendem que é efeito das medidas tomadas pelo governo, como isolamento social.

Ao todo, havia 18.803 pacientes com a Covid-19 na Holanda, até a última atualização desta reportagem. Os dados foram divulgados esta segunda-feira (06/04) pelo Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente da Holanda (RIVM).

Até o início da noite (horário de Brasília), 7.135 pessoas estava internadas na Holanda desde o início da pandemia, que já deixa 1.874 mortos no país europeu.

Nas últimas 24 horas, foram registradas 260 novas internações no país. No mesmo período, 101 pessoas morreram coronavírus na Holanda, e 952 novos casos foram confirmados.

Metade dos pacientes contaminados pelos vírus tem 64 anos ou mais, segundo o documento. Entre os óbitos, metade tinha 81 anos ou mais.

“À primeira vista, certamente não estamos indo mal, quando comparamos com outros países, com o que chamamos de ‘bloqueio inteligente’. Você pode ver que as curvas de vários países não diferem muito uma da outra”, disse Hans Heesterbeek, professor de epidemiologia da Universidade de Ultrecht, ao portal de notícias locais, AD.

A orientação de isolamento social na Holanda também é elogiada pelo virologista Ab Osterhaus, da mesma universidade. “Se continuarmos assim, as coisas estão indo na direção certa. Mas isso também significa que você deve seguir as recomendações. Se você abandonar as medidas impostas pelo governo, tudo estará do mesmo jeito em um mês”, disse, ao AD.

Segundo o Centro Nacional de Coordenação de Distribuição de Pacientes (LCPS), 24 pacientes holandeses deram entradas em UTIs hospitalares nas últimas 24 horas. O número é menor que protocolados em dias anteriores. Sábado, foram 25 internações e, na sexta, 36. Na última quinta-feira (02/04), 82 pessoas foram levadas para unidades de terapia intensiva (UTIs). Há uma semana, de acordo com o LCPS, 100 pacientes eram adicionados por dia às UTIs.

Protocolo

O governo holandês mudou, desde a manhã desta segunda-feira (06/04), o protocolo de testagem para o coronavírus, abrangendo outros grupos, como profissionais de saúde e potenciais doadores de sangue. Dessa forma, com base em informações dadas pelos pacientes, as autoridades vão tentar identificar de onde está vindo e como está se espalhando o vírus.

Atualmente, os laboratórios realizam 4 mil exames por dia, mas, com a mudança do protocolo, este número deve subir para 17,5 mil. De acordo com o ministro da saúde holandês, Hugo de Jonge, este número pode chegar até a 29 mil até o próximo dia 30.

O objetivo, segundo Jonge, é até o fim do mês, decidir se afrouxa ou não as medidas de isolamento.

Últimas notícias