Corredor Polar aberto para enormes ondas de frio no Hemisfério Sul

Cenário meteorológico favorável a ondas de frio muito intensas e até extremas entre este final de julho e o começo de agosto

atualizado 22/07/2021 19:56

Cidade de São Paulo registra recorde de frio na manhã de quarta (30-6) com 6ºCFábio Vieira/Metrópoles

O padrão atmosférico é favorável a novas incursões de ar polar de forte intensidade agora no final do mês de julho e também ainda em agosto e setembro, possivelmente com risco de frio intenso tardio mesmo no decorrer da primavera.

A possibilidade de novas massas de ar muito frio, como a do final do mês de junho e desta semana, acompanha o quadro de neutralidade no Pacífico, que pode migrar novamente para La Niña ao longo deste segundo semestre e ainda pelo comportamento da temperatura e do vento na região da Antártida.

A temperatura desde o outono tem estado abaixo da média no continente antártico. Maior parte da Antártida vem registrando temperatura muito abaixo dos padrões históricos, o que, por exemplo, fez com que a cobertura de gelo marinho no Hemisfério Sul durante o mês de junho ficasse logo acima da média histórica 1991-2020.

De acordo com dados do sistema europeu Copernicus, o padrão de gelo observado no último mês na Antártida mascara grandes diferenças regionais no continente na concentração de gelo marinho com valores superiores ao normal a Oeste da península antártica, ao Norte dos mares de Bellingshausen e Amundsen, assim como nos setores do Índico e do Pacífico Oeste no Oceano do Sul. Gelo marinho abaixo da média predominou ao Norte nos mares de Weddel e Ross.

Confira a matéria completa no portal MetSul, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias