Congressista denuncia subsidiárias da JBS por violação da lei nos EUA

Segundo ela, a empresa estaria em busca de investimentos norte-americanos, mas escondia as investigações que recaem sobre a companhia

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 18/07/2019 16:18

Algumas subsidiárias do conglomerado da JBS nos Estados Unidos (EUA) que têm recebido incentivos financeiros do departamento de agricultura da administração de Donald Trump estariam escondendo informações a respeito de investigações que recaem sobre as empresas dos potenciais investidores no país. As informações foram publicadas pelo jornal norte-americano Daily News. Segundo o veículo, a prática viola a lei estadunidense.

A denúncia foi repassada pela congressista Carolyn Maloney, do partido Democrata, ao presidente da Comissão de Títulos e Câmbios (Securities and Exchange Commission) norte-americana, Jay Clayton.

“As entidades da JBS têm levantado financiamentos de investidores americanos sem revelar investigações de potenciais violações do Departamento de Justiça e da Comissão de Títulos e Câmbios”, teria dito Maloney na carta endereçada ao presidente da comissão e obtida pelo veículo.

A carta enviada pela deputada junta-se a outras violações que teriam sido cometidas pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da JBS. O veículo lembrou que os dois deixaram a gestão diária da empresa, mas ainda a comandam por meio de uma sociedade, e estiveram presos por pagar propinas a políticos brasileiros.

A publicação revisou arquivos da Justiça e confirmou que subsidiárias da JBS estão sob investigação por violar a Lei Americana Anticorrupção no Exterior.

Procurado, o representante da JBS nos EUA, Cameron Bruett, negou as acusações e disse que a empresa atua em total conformidade com os requisitos exigidos pelas leis norte-americanas.

Apesar da situação apontada pelo jornal, o Daily News informa que o Departamento de Agricultura do governo Trump tem contratos de mais de US$ 62 milhões com a principal subsidiária da JBS nos Estados Unidos, a JBS USA.

Os recursos, segundo o veículo, seriam de um programa federal da atual administração para ajudar agricultores americanos sofrem as consequências da guerra comercial com a China.

Últimas notícias