Cidade da Holanda é a primeira do mundo a banir propagandas de carne

A iniciativa de Haarlem será aplicada a partir de 2024 e busca reduzir o impacto climático do consumo da proteína animal

atualizado 07/09/2022 15:12

Pessoa segurando hambúrguer - Metrópoles pangshukman / Getty Images

A partir de 2024, a cidade Haarlem, da Holanda, vai proibir a maioria dos anúncios de carne em espaços públicos como forma de conscientizar a população sobre o impacto climático do consumo da proteína animal. Essa é a primeira vez que essa iniciativa é tomada.

A proposta elaborada pelo GroenLinks — um partido político verde — enfrentou oposição da indústria de carnes e daqueles que são contrários à proposta sob o argumento de que ela reprime a liberdade de expressão.

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que a pecuária gera mais de 14% de todos os gases de efeito estufa produzidos pelo homem, incluindo o metano.

“A carne é muito prejudicial ao meio ambiente. Não podemos dizer às pessoas que há uma crise climática e incentivá-las a comprar produtos que fazem parte dela”, disse Ziggy Klazes, vereadora do GroenLinks que redigiu a proposta, ao jornal Trouw.

O governo da cidade de 160 mil habitantes informou que ainda não foi decidido se a carne produzida de forma sustentável será incluída na proibição de anúncios.

Parlamentares do partido Christian Democratic Challenge também apoiaram a medida, que por outro lado tem sofrido críticas da indústria de carnes.

“As autoridades estão indo longe demais ao dizer às pessoas o que é melhor para elas”, afirmou um porta-voz da Organização Central do Setor de Carnes.

O partido de direita BVNL classificou a medida como uma “violação inaceitável da liberdade empresarial” que irá gerar grandes prejuízos aos suinocultores. “Proibir propaganda por motivos de origem política é quase ditatorial”, declarou o vereador Joey Rademaker.

Mais lidas
Últimas notícias