Brasileira vítima de racismo nos EUA lamenta: “Criticam até a sobrancelha”

Ao Metrópoles, Gisele Barreto Fetterman, mulher do vice-governador da Pensilvânia, diz ter ficado muito abalada com o episódio desse domingo

atualizado 12/10/2020 20:43

Gisele Barreto FettermanReprodução/ Instagram

Esposa do vice-governador da Pensilvânia, John Fetterman, a brasileira Gisele Barreto Fetterman, 38 anos, afirmou ter ficado em choque durante o episódio em que foi vítima de racismo, nesse domingo (11/10), enquanto fazia compras em um supermercado perto de casa, no distrito de Braddock, em Allegheny.

Em entrevista ao Metrópoles, Gisele disse que normalmente tem uma equipe de seguranças com ela, mas que, no dia em questão, chovia muito e ela queria apenas comprar uns kiwis rapidamente. Então resolveu não acionar ninguém e ir sozinha ao comércio.

“Estou na fila para pagar quando a mulher passou por mim. Vi na hora que ela me reconheceu e foi aí que começou. Ela me chamou de ladra, disse que eu não pertencia a esse lugar. ‘Ali está aquela n.. casada com Fetterman’, ela disse, visivelmente irritada”, relembrou Gisele. O termo em inglês, conhecido popularmente como n-word, é considerado ofensivo.

A esposa do vice-governador falou que outra mulher estava atrás dela na fila e ofereceu companhia para ir até o carro. Gisele efetuou o pagamento no caixa e foi em direção ao veículo, que estava perto da porta do supermercado.

“Quando entrei no carro, ela [a agressora] sai sem compras, só com a bolsa, e começa a gritar novamente as mesmas coisas. Eu estava chorando e bem abalada, mas consegui filmar um pouco com o celular”, contou.

O caso ganhou repercussão após o vídeo ser publicado na conta oficial de Gisele no Twitter. “Eu amo esse país, mas estamos profundamente divididos. Se voce conhece essa mulher, por favor, ensine-a o amor”, escreveu.

A esposa de Fetterman declarou que não teve reação na hora e reiterou que não é consegue argumentar em momentos de confronto. “Normalmente só congelo e começo a chorar. Eu não sou uma pessoa agressiva, fiquei mais em choque do que qualquer coisa”, assegurou Gisele.

Outros casos

Questionada sobre a frequência de episódios similares, Gisele afirmou que foi a primeira vez que aconteceu algo do gênero. “Assim, na minha cara, foi a primeira vez. Mas recebo diversos comentários on-line, cartas de ódio. As pessoas criticam até minhas sobrancelhas, que são muito étnicas. Tento não ler, mas às vezes acaba passando uma coisa ou outra”, confirmou.

“O país está bem tenso por causa das eleições, mas acredito que é possível acreditar em uma coisa e votar por ela, e ao mesmo tempo respeitar uma pessoa que pensa diferente e aceita. No entanto, é uma lembrança de que não importa o quão duro você trabalhe, para algumas pessoas você sempre vai ser inferior. Ela não representa o estado nem o país que amo muito”, desabafou Gisele.

Nascida no Rio de Janeiro

A esposa do vice-governador nasceu no Rio de Janeiro, imigrou sem documentos com a família aos 8 anos de idade. Recebeu a permissão de moradia em 2004 e se casou com John Fetterman em 2007.

0

Últimas notícias