Após visita que causou crise com a China, Nancy Pelosi deixa Taiwan

A parlamentar chegou à pequena nação asiática na terça (2/8), provocando reações de autoridades chinesas contra os EUA

atualizado 03/08/2022 8:32

Ministry / Handout/Anadolu Agency via Getty Images

Após a rápida e controversa visita a Taiwan, Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos (EUA), deixou o país. O voo com a comitiva norte-americana partiu nesta quarta-feira (3/8).

A parlamentar chegou à pequena nação asiática na terça-feira (2/8), provocando crises entre Pequim, capital chinesa, e os Estados Unidos.

O atrito ocorre porque a China considera Taiwan como parte de seu território e condena qualquer contato de autoridades ou tentativas de reconhecimento da autonomia da ilha. Para os chineses, a viagem de Pelosi é uma “provocação”.

Em declaração dada na noite de terça, Pelosi afirmou que a comitiva norte-americana viajou ao país “em amizade e paz”.

Em publicação nas redes sociais, Pelosi informou que a delegação norte-americana visitou o Museu Nacional de Direitos Humanos ao lado de ex-presos políticos no país.

“Uma homenagem aos heróis que sofreram e lutaram pela democracia de Taiwan”, escreveu. A comitiva também se encontrou com a presidente da ilha, Tsai Ing-wen.

“Discutimos como os Estados Unidos e Taiwan podem aprofundar nossos laços econômicos, fortalecer ainda mais nossa parceria de segurança e defender nossos valores democráticos compartilhados”, disse a paramentar.

Ameaças

Antes da visita de Pelosi à ilha ser confirmada, autoridades chinesas dispararam ameaças aos Estados Unidos.

“Os EUA assumirão a responsabilidade e pagarão o preço por minar os interesses soberanos de segurança da China”, afirmou Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

O país chegou a instalar aviões de guerra para sobrevoar o território. Pelosi é a primeira presidente da Câmara dos Deputados norte-americana a visitar Taiwan em 25 anos.

Saiba mais sobre o conflito:

Mais lidas
Últimas notícias