*
 

Em seu primeiro pronunciamento após o ataque em Nova York, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (1º/10) que iniciou o processo para encerrar o Programa de Vistos da Diversidade, de concessão de green card. O programa fornece vistos por meio de um sorteio aleatório entre pessoas de países com baixas taxas de imigração nos EUA, popularmente conhecido como “loteria de vistos”.

“Estou iniciando o processo para acabar com o ‘Programa da Loteria de Vistos da Diversidade'”, disse Trump a jornalistas na Casa Branca, acrescentando que considera enviar à prisão de Guantánamo, em Cuba, o autor do atentado, a quem chamou de “animal”.

A decisão de Trump desta quarta-feira surge um dia depois do atentado que matou 8 e feriu 11 no sul de Manhattan, em Nova York – o primeiro ataque terrorista com mortos na cidade desde o 11 de setembro de 2001.

Mais cedo, o presidente havia reforçado, por meio do Twitter, a necessidade de mudar o atual sistema de imigração americano por outro “que se baseie no mérito. Em uma série de tuítes, Trump repercutiu uma notícia veiculada por vários meios de comunicação, entre eles a emissora ABC, afirmando que o acusado de ser o autor do atentado, Sayfullo Saipov, um usbeque de 29 anos, chegou aos EUA há sete anos graças a esse programa anual de concessões de visto.

Trump vinculou os democratas, precisamente o líder no Senado, Chuck Schumer, com esse programa e lembrou que o sistema de imigração que ele quer terá “como base o mérito”. “Estamos lutando duro pela imigração com base no mérito, não mais o sistema de loteria dos democratas. Devemos ser muito mais duros (e mais inteligentes)”, enfatizou o presidente.

Pouco depois, Schumer respondeu às críticas de Trump em um comunicado dizendo que a imigração é algo bom para os EUA. “Presidente Trump, ao invés de politizar e dividir os EUA, o que ele sempre parece fazer em épocas de tragédias nacionais, deveria focar na solução real – o financiamento do antiterrorismo -, cujo orçamento ele propôs cortar recentemente.”

Saipov, que de acordo com os depoimentos de pessoas que estavam no local do ataque gritou “Allahu akbar” (Deus é o maior, em árabe), foi atingido por um ou vários disparos no abdômen ao sair do veículo e foi levado para um hospital.

 

 

COMENTE

EUATrumpAtentado em Nova York
comunicar erro à redação