*
 

O governador de Nova York, Andrew Cuomou, informou nesta quarta-feira (01/11), que o terrorista que realizou um atentado em Manhattan se “radicalizou” já nos Estados Unidos. De acordo com o político, o homem é um “lobo solitário” que se comunicava com membros do Estado Islâmico e confirmou a existência de um bilhete pró-EI dentro da caminhonete usada no ataque.

Ao ser questionado sobre as postagens nas rede sociais do presidente Donald Trump, Cuomo afirmou que “esse não é um momento de fazer política e nem um momento para semear o ódio”.

As vítimas foram atropeladas pela caminhonete dirigida por Sayfullo Saipov, um cidadão de 29 anos do Usbequistão que imigrou para os EUA em 2010. Pouco depois das 15h (17h em Brasília), ele entrou com o veículo em uma ciclovia do lado oeste de Manhattan e atingiu os que estavam em seu caminho por uma extensão de quase 15 quadras. Sua trajetória foi interrompida quando o carro se chocou contra um ônibus escolar nas proximidades do World Trade Center, local do atentado terrorista de 11 de setembro de 2001.

Donald Trump informou na madrugada desta quarta-feira (01/11), ter ordenado o reforço do programa de controle de estrangeiros que tentam entrar no país, horas após o primeiro ataque com vítimas fatais na cidade de Nova York desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

“Acabo de ordenar a Departamento de Segurança Interna o reforço do nosso programa de revisão já extremo”, tuitou o presidente. “Ser politicamente correto é bom, mas não para estes casos!”.

 

 

 

COMENTE

Atentadoestado islâmicoatentado em nyataque em ny
comunicar erro à redação