Após queda das ações da Petrobras, Bolsonaro reúne-se com ministros

Pouco depois de chegar do Amapá, onde participou da cerimônia de inauguração do aeroporto da capital, Macapá, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) encaixou na agenda uma reunião de emergência com oito ministros, em meio à queda drástica das ações e a desvalorização de R$ 32,4 bilhões em valor de mercado da Petrobras, após a decisão do […]

atualizado 12/04/2019 21:35

Pouco depois de chegar do Amapá, onde participou da cerimônia de inauguração do aeroporto da capital, Macapá, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) encaixou na agenda uma reunião de emergência com oito ministros, em meio à queda drástica das ações e a desvalorização de R$ 32,4 bilhões em valor de mercado da Petrobras, após a decisão do presidente de barrar o aumento do preço do óleo diesel, o que tinha sido anunciado pela estatal.

O ministro das Relações Exteriores, o chanceler Ernesto Araújo, estava em sua agenda desde a manhã desta sexta-feira (12/4). Já a reunião com Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), Floriano Peixoto (Secretaria de Geral da Presidência) e Santos Cruz (Secretaria de Governo) foi acrescentada à agenda do presidente só depois de ele ter deixado o Palácio do Planalto, por volta das 18h30. A reunião começou às 17h.

A agenda do presidente só foi atualizada após o briefing do porta-voz do governo, general Otávio Rêgo Barros, com a imprensa, às 18h. Enquanto a conversa de Rêgo Barros com jornalistas ocorria, Bolsonaro emendou a reunião seguinte, com Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), e Fernando Azevedo e Silva, às 18h15.

Últimas notícias