“Fraude arquitetada”, diz André Clemente após operação do MPDFT

O conselheiro do TCDF e ex-secretário de Economia, André Clemente, disse que a pasta fez o Brasília Iluminada "movida por interesse público"

atualizado 25/01/2022 13:10

Homem fala em microfoneGustavo Moreno/especial Metrópoles

O conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) André Clemente (foto em destaque) emitiu, no fim da manhã desta terça-feira (25/1), um comunicado público após ser alvo de operação do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) que investiga supostas irregularidades envolvendo o projeto Brasília Iluminada. Clemente alegou que a ação “foi uma fraude arquitetada por atores de um jogo político sujo desde que meu nome surgiu para a vaga do Tribunal de Contas do DF”.

Clemente é investigado porque foi secretário de Economia do DF, pasta responsável por assinar o termo de fomento com o Instituto Idheias para a realização do evento alusivo às festas de fim de ano. O conselheiro disse que não praticou “nenhum ato nesse contrato”. “A Secretaria de Economia realizou o Brasília Iluminada movida pelo mais legítimo interesse público”, destacou. Leia a nota na íntegra abaixo.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
0

Além do MPDFT, TCDF apura denúncia sobre Brasília Iluminada

MP faz buscas na casa de ex-secretário de Economia

A casa do conselheiro do TCDF foi alvo de busca e apreensão nesta manhã. Segundo o MPDFT, as investigações apontaram uma série de irregularidades no processo de contratação do Instituto Idheias para a realização do evento, o qual previa a ornamentação do canteiro central da Esplanada dos Ministérios e do Eixo Monumental, além de atividades culturais.

Com relação as buscas realizadas hoje, tenho total tranquilidade sobre o caso. Mas me causa revolta apenas por saber que o tema é tratado por autoridades que deveriam agir de forma isenta, mas atuam sob interesses políticos.

Tenho um nome a zelar. Nos meus mais de 32 anos como servidor nunca respondi a sequer um processo administrativo.

Não pratiquei nenhum ato nesse contrato. A Secretaria de Economia realizou o Brasília Iluminada movida pelo mais legítimo interesse público.

O que ocorreu hoje foi uma fraude arquitetada por atores de um jogo político sujo desde que meu nome surgiu para a vaga do Tribunal de Contas do DF.

Vou empenhar as minhas energias para deixar provado o absurdo cometido e buscar responsabilizar os autores de tal violência.

Assim, acabo de solicitar uma auditoria rigorosa nesse contrato para demonstrar o rigor e a impessoalidade da atuação da Secretaria como um todo.

André Clemente

Mais lidas
Últimas notícias