Bolsonaro estima que ao menos 60% da população pegará coronavírus

Em entrevista ao comunicador Sikêra Jr., presidente volta a defender "afrouxamento" de quarentena

jair bolsonaro coletiva coronavírusrafaela felicciano/ metrópoles

atualizado 30/03/2020 19:20

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) estimou nesta segunda feira (30/03) que “pelo menos 60% da população” vai pegar coronavírus. Ainda assim, segundo ele, é preciso “afrouxar” a quarentena decretada nos Estados.

A fala foi registrada em entrevista por telefone ao programa Alerta Nacional, da Rede TV.

Bolsonaro defendeu o passeio que fez pelo Distrito Federal no domingo e pediu o “afrouxamento” das quarentenas decretadas por estados e municípios.

Em entrevista coletiva, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, aconselhou os brasileiros na outra direção, sugerindo que sigam as instruções dos governadores com as políticas de prevenção à pandemia.

Sobre o coronavírus, Bolsonaro argumentou que “quase todo mundo vai pegar” e que é importante evitar que muitos peguem ao mesmo tempo, mas reforçou que o “desemprego galopante” pode ser ainda mais perigoso.

Segundo o presidente, “alguns morrerão”, “mas não podemos viver num clima de terror”.

Questionamento do número de mortes
Perguntado pelo entrevistador Sikêra Jr. sobre notícias de falsas mortes por Covid-19, assunto comentado nas redes sociais desde o fim de semana, Bolsonaro voltou a colocar em dúvida os dados oficiais.

“Temos conhecimento desse fato e de outros”, disse o presidente sobre a história de um borracheiro que teria morrido em acidente de trabalho, mas teria sido contabilizado como vítima do coronavírus.

“Parece que há interesse em alguns governadores em inflar as mortes, para justificar as medidas que têm tomado”, acusou Bolsonaro.

Últimas notícias