Quatro novos restaurantes de Brasília para conhecer em maio

A reportagem de Gastronomia indica quatro novos restaurantes brasilienses que valem a visita; confira

atualizado 02/05/2022 14:27

Instagram/Trevo/Reprodução

Em movimento, a cena gastronômica de Brasília segue evoluindo, mesmo com as perdas que a pandemia trouxe. A cidade viu muitos restaurantes fecharem, mas tantos outros abrem a cada mês. E para te ajudar a conhecer as novidades da capital, a equipe de gastronomia do Metrópoles separou quatro novos endereços que valem a visita em maio.

Burguer bom e novo

O mercado de hamburguerias aqui em Brasília está, cada dia mais, disputado. A cada mês, novos estabelecimentos surgem e oferecem o tradicional sanduíche. Por isso, é bom ficar atento às novidades e tentar separar o que vale e o que não vale. Nessa linha, já adianto aqui: o Trevo Sandwich Shop é um acerto no meio de tantas tentativas.

Mesmo que o nome traga o nome sanduíche, o foco do Trevo é no hambúrguer. Tem o tradicional (160g), mais alto e suculento, e o novo queridinho, os smashs, mais fininhos e crocantes. Para começar a comelança, pedi o Nuggets da Casa (R$ 18) – bem feitos, sequinhos e com o empanamento gostoso – e a Coxinha de Costela (R$ 24). O segundo petisco é realmente sensacional: leve, com um interessante toque agridoce (amém, cebola caramelizada) e acompanhada com maionese de pimenta.


Na hora do sanduba, optei pelo Bacon Mascavo (pão brioche, blend Angus de 160g, american cheese, bacon caramelizado, melaço de cana e maionese da casa – R$ 33). A carne veio no ponto correto (rosada por dentro) e os sabores doces e salgados trazem uma complexidade ao prato, trazendo ao Trevo um novidade neste cenário batido.

Na parte de sobremesas, foquei no Brownie (brownie com uma bola de sorteve flor di latte e calda de caramento – R$ 20). Gostoso? Sim. Bem servido? Não. Da próxima vez – por que, sim, vai ter uma outra vez – devo experimentar o Milkshake de Sucrinhos (sorvete flor di latte, com leite de Sucrilhos e calda de caramelo – R$ 21). (Luiz Prisco)

Trevo Sandwich Shop
Na 207 Norte, bloco C. De terça a domingo, das 17h30 às 23h

Café com zelo

O Acorde 27 já é uma figurinha carimbada entre os amantes de café especial em Brasília. Nascido em Sobradinho, a marca agora conta com uma loja irmã no Lago Norte. A nova unidade já está de portas abertas há pouco mais de um mês e meio e fica numa localização boa dentro do Centro de Atividades (conhecido como CA).

A decoração segue a mesma linha do primeiro endereço e mistura madeira, elementos industriais e pontos de cor. Além disso, plantas se fazem presentes em todo o local. O ambiente jovial segue também para a equipe, composta por atendentes muito solícitos (que contam com a ajuda de um botãozinho em cada mesa para não deixar ninguém esperando).

A proposta da casa é oferecer um café de qualidade, e é cumprida com muito zelo. Para começar, pedi um coado na Hario V60, que é um método japonês e rendeu uma bebida bem equilibrada. O grão foi à escolha do barista e custou R$ 16 (300 ml). As comidinhas ficaram por conta do Bacon Cremoso (R$ 25), que é um sanduíche montado em pão de fermentação natural, bacon, cream cheese, cebolinha, pimenta do reino moída na hora e páprica. Achei uma escolha certeira para um lanche da tarde, além de saboroso.

0

Se você é vegano ou vegetariano, vale pedir a Tapioca, que custa R$ 5, recheada com cebola, alho poró, tomate, palmito, refogado no azeite com pimenta do reino, páprica e sal. O recheio custa R$ 8 e é muito gostoso, além de ter uma porção grande. Conta como uma refeição completa e nutritiva. Destaque para o tempero, que estava perfeito. Para adoçar o paladar, pedi a famosa Calda de chocolate com bolo de cenoura (R$ 12). O bolo é fofinho, a calda é uma delícia (e não muito doce), porém, quando fui na unidade “mãe”, em Sobradinho, vinha servido com mais calda do que agora.

A experiência é muito boa e vale a pena conhecer o espaço. Além de ser mais uma opção para os moradores da região, se destaca pelo primor pelos ingredientes, o atendimento cordial e o sabor. Não deixem de experimentar os cafés da casa e finalizar o pedido com o Affograto (R$ 16), que vem com sorvete, expresso, chantilly e cacau: perfeito para dias quentes, além de fechar com chave de ouro. (Giulia Roriz)

Acorde 27
CA 2, Edifício Practical Spaces, loja 01 – Lago Norte. Diariamente, das 14h às 21h.

Misto de parrilla com italiano

Na última semana, entrou em atividade oficialmente o Fà, híbrido da casa de carnes Fuego (112 Sul) e do italiano ‘A Mano (411 Sul). O ambiente, localizado numa das pontas do mercado, segue a linha idealizada pela Bloco Arquitetos. É aberto, despojado, sem firulas. Já o menu da casa leva a assinatura do chef argentino Pepe Sotelo, que chegou ao Brasil para comandar o Fuego desde a sua abertura, depois de colocar o restaurante Don Julio, onde trabalhou por mais de 20 anos, como o 11º melhor da América Latina e 13º na lista do 50th Best, em 2021.

Morangos na parrilla
Morangos na parrilla

A estrutura do menu me pareceu bem composta. Na parte de petiscos e entradas, há um mix entre as duas propostas. Há desde porção de arancini (R$ 36), bolinho elaborado a partir de um risoto, com abóbora e queijo de cabra, até as tradicionais salteñas, empanadas argentinas (R$ 14 a unidade).

Para fugir do lugar comum, que envolve ainda croquetas, burratas, carpaccios, fui de Batuta de Carne (R$ 49), uma versão de steak tartar com pedaços maiores de filet de angus, cobertos por crocante de cebolas e um picles de cebola roxa, e acompanhados por tubérculos crocantes. O garçom tempera a porção quando esta chega à mesa, misturando pimenta moída na hora, sal e azeite.

Na parte mais argentina, o menu traz cortes como ojo de bife, assado de tira, costela, dentre outros, que pesam entre 200g e 600g e saem de R$ 49 a R$ 139, com direito a molho roti, vinagrete ou chimichurri. Escolhi, no entanto, a bondiolita de cerdo (R$ 42), corte extraído da sobrepaleta suína, com tempero do chef. Acompanhei com aligot (R$ 33) e farofa de bacon com cebola (R$ 22).

Para a sobremesa, achei interessante pedir os morangos assados na parrilla com uma calda de Campari, creme de mascarpone e merengue assado (R$ 29). Para ler a crítica completa, acesse a coluna de Luciana Barbo.

Mané, mercado vírgula
Endereço: Eixo Monumental, entre o estádio Mané Garrincha e o Ginásio Nilson Nelson. Funciona de domingo a quarta, das 12h às h; quinta a sábado, das 12h às 2h. As operações gastronômicas atendem até duas horas antes do fechamento do mercado. Instagram: @manebrasilia

Cozinha grega

Fui conhecer o Greta Kouzina, novo estabelecimento aberto na QI 9 do Lago Sul. O local tem como proposta ser uma casa grega mediterrânea, trazendo o melhor da comida do berço da democracia com um jeitinho brasileiro, como descreveu André Sampaio, restauranteur à frente deste e de outros estabelecimentos, como o italiano A’Mano (411 Sul). O ambiente é belíssimo, confortável e com tons brancos e azuis, remetendo bastante à proposta do local. Ao passear os olhos pelo cardápio, senti falta de itens mais inovadores, a casa apostou no clássico, mas, que fique claro, não há nenhum demérito nisso. O atendimento é simpático e eficiente, característica das casas com salão comandado por André, com vasta experiência no grupo Fasano.

Para a entrada, me recomendaram o Spanakopita (R$ 55): “pastéis” na massa filo (uma massinha bem fina que quando enrolada, pincelada com manteiga e assada, lembra muito a folhada, porém mais leve e crocante), recheados de queijo de cabra e espinafre, acompanhados de molho de iogurte, mel e raspinhas de limão siciliano. Estavam leves, elegantes e saborosos, porém um deles molhou uma parte antes de ir ao forno, talvez não por coincidência, o último da fileira de cinco, tirando um pouco da crocância.

0

No principal fui na sugestão do Souvlaki (R$ 80): espetinho de frango e camarão, arroz pilaf (arroz branco frito em temperos diversos até que fique levemente transparente, mas sem ganhar crocância), legumes salteados e molho tzatziki (um molho típico grego, a base de iogurte, pepino, algum meio ácido, azeite e endro dill). O espetinho estava bem saboroso, bem como o arroz, mas faltou um pouco de coesão entre os elementos do prato – me pareceu uma degustação de preparos tipicamente gregos. O tzatziki pecava na falta de acidez e ausência de endro, lembrava mais um tártaro. Os vegetais estavam saborosos e no ponto, seria interessante explorarem itens utilizados na gastronomia grega, como quiabo, pimentão, berinjela e tomate. O prato só ficou devendo no sabor do azeite e na presença de azeitonas, elementos-chaves na cultura gastronômica grega.

Para a sobremesa apostei por conta no Sorvete Iogurte (R$ 40), composto por sorvete de iogurte, iogurte grego, morango, romã e telha de suspiro. Bem servido, justifica o preço e pode ser dividido. Ficaria ainda melhor com mais morangos – e também com a telha de suspiro, que foi esquecida durante o serviço.

Em resumo, percebe-se o empenho da casa, a qualidade dos insumos, mas a execução e originalidade dos preparos, ao menos na minha visita, deixaram a desejar. Retornarei com outras escolhas, visto a confiança que tenho nos que tomam à frente da casa e as outras operações tocadas por eles. (André Rochadel)

Greta Kouzina
QI 9, Bloco A – Lago Sul. De terça a quinta, das 12h às 15h e das 18h à 00h; sexta e sábado das 12h à 00h e domingo das 12h às 18h

Mais lidas
Últimas notícias