Mundo das abelhas: veja todo o incrível processo de fabricação de mel

O Metrópoles foi até o entreposto da Mel do Sol, em Águas Lindas, para acompanhar a produção do néctar

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 17/02/2019 20:39

O mel é um produto natural obtido a partir do néctar das flores e de excreções das abelhas. Longe de ter gosto padronizado, os sabores, cores e aromas do doce são relacionados a diversos fatores, como as espécies dos insetos, a floração, o clima e a região, entre outros. Portanto, a produção desse alimento é cercada de técnicas e diferentes processos. Por isso, o Metrópoles visitou uma fábrica do produto e mostra como ele chega à sua mesa.

O mel brasileiro e derivados são considerados entre os mais puros do mundo e têm alta produção, voltada principalmente para exportações nos mercados europeu e norte-americano. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só em 2017 foram feitas 41,6 mil toneladas do produto, em 3.879 municípios brasileiros. O valor foi de R$ 513,9 milhões.

A reportagem visitou o entreposto da brasiliense Mel do Sol, em Águas Lindas (GO), coordenado por Leonardo Cardoso, que empreende na área há mais de 30 anos. No local é feita a industrialização do mel, fornecido de vários apiários do Brasil. “Recebemos insumos do Norte ao Sul do país”, conta Léo.

O mineiro passou a se interessar pelo mundo das abelhas durante férias no sul do estado do Rio e, desde então, nunca mais parou de trabalhar na área. Hoje, ele vende em média 8 mil quilos de mel por mês. Leonardo Cardoso explica que os tipos variam de acordo com a flor polinizada. No Brasil, as mais comuns são as flores de cipó-uva, laranja, eucalipto, assa-peixe e as silvestres.

A produção de mel está diretamente relacionada com a flora existente e com o tipo das abelhas

Leonardo Cardoso
Hugo Barreto/Metrópoles
Leonardo Cardoso mostra enxame de abelhas

 

Monoflorais ou blends
Frutose e sacarose são, basicamente, as substâncias químicas que compõem o mel. O alimento passa por diversas etapas até poder ser consumido, desde a produção pelas abelhas ao processo de engarrafar o produto.

As protagonistas trabalham todos os dias para confeccionar o líquido doce e natural. Quando elas se alimentam de apenas um tipo de flor, produzem os méis monoflorais. Porém, é mais comum que eles sejam multiflorais. Já os blends, as misturas de dois ou mais insumos, são realizados com floradas diversas, principalmente com as de laranjeira, silvestres e de eucalipto.

Os tipos das floradas influenciam diretamente nas cores, sabores e aromas: podem ser escuros, amargos, com alto teor de minerais, mais ou menos doces, claros, amarelos ou até branco-d’água.

Hugo Barreto/Metrópoles
Tipos de méis monoflorais


Industrialização
A Mel do Sol compra mel de uma dúzia de produtores durante todo o ano. A industrialização do produto passa pelos seguintes processos: análises laboratoriais, tratamento térmico, filtragem, decantação e envasamento.

Na indústria, é possível verificar por meio de análises o tipo de florada do mel e gerar uma diversidade de sabores através dos blends. Leonardo explica que, de acordo com o percentual de cada mistura, o produto final será diferente e único.

 

Em família
Em Brasília, a loja Mel do Sol é uma das pioneiras na apicultura e na indústria do mel, em atividade há mais de três décadas. Tomás Cardoso, filho de Leonardo, é o responsável por cuidar do estabelecimento comercial, que fica na Asa Norte. Conforme conta, quem assumiu a empreitada foram seus avós, mas há três anos ele entrou na empresa e começou a se aproximar do trabalho da família.

A marca Mel do Sol une tanto a indústria quanto o varejo, mas são duas coisas diferentes: “A loja é a vitrine do entreposto”, explica Tomás. Na loja, eles oferecem variedade de sabores, como os de floradas de cipó-uva, de café e aroeira, além dos blends.

As pessoas conhecem muito pouco do mel, que existe uma diversidade de tipos e sabores. Nossa ideia é reforçar o diferencial do produto

Tomás Cardoso

 

Mel do Sol
Loja: de segunda a sexta, das 8h às 19h, e sábado, das 8h30 às 16h, na 403 Norte. Telefone: (61) 3326-8451. Indústria: de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30, na BR-070, Km 02, Fazenda Cachoeira, s/n – Águas Lindas de Goiás (GO). Telefone:
 (61) 3618-5311. Instagram

Últimas notícias