*

O Instituto de Cerveja do Centro-Oeste abriu vagas para seus cursos no segundo semestre de 2018. As formações de Sommelier de Cervejas e Tecnologia Cervejeira Avançada estarão disponíveis na escola, com 40 vagas em cada turma. Por seis meses, os estudantes terão um encontro mensal, num fim de semana de aprendizado intensivo.

Os cursos não vêm em má hora: o mercado cervejeiro cresce a olhos vistos na capital federal. “O que aconteceu aqui em Brasília nos últimos anos foi uma coisa estrondosa. Surgiram inúmeras marcas e bares, o mercado evoluiu bastante porque a demanda, aqui e no Brasil, aumentou muito. Você precisa de profissionais entendedores que possam fazer orientações em lojas e em restaurantes”, comenta a coordenadora de cursos da escola, Rogéria Xerxenevsky.

As duas formações se complementam. É preciso ser crítico o suficiente para fabricar a própria cerveja: entender as notas sensoriais que fazem aquela bebida pertencer a uma escola clássica. Por outro lado, embora o beer sommelier não seja obrigado a entender todo o processo de fabricação cervejeiro, é importante para quem quer se arriscar nessa área.

“É um caminho sem volta. O brasiliense tem um poder aquisitivo relativamente alto, é uma população que viaja e busca conhecimentos fora do país. Voltam querendo um produto diferenciado para o consumo no dia a dia. Não é barato fazer cerveja artesanal, e aqui tem muito potencial. Precisamos de mão-de-obra especializada para dar conta desse consumo”, garante Rogéria.