Árbitro usa experiência, mas não evita polêmica em Grêmio x Flamengo

Partida pela semifinal da Libertadores contou com muitos gols anulados, intervenções do VAR e aquela demora bem familiar. Vamos analisar?

atualizado 03/10/2019 12:53

Alexandre Vidal/Flamengo

Grêmio e Flamengo empataram por 1 x 1 o jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores. A arbitragem foi do argentino Néstor Pitana que usou sua experiência para comandar bem a partida e não perder o controle do jogo, mesmo com três gols anulados, todos do Flamengo.

Vamos à análise!

Aquele empurrãozinho
Aos 21 minutos do primeiro tempo, o Flamengo abriu o placar. Éverton Ribeiro acertou na veia e fez um golaço, mas tinha um porém. No início da jogada, Gabigol deu um empurrão claro em Kannemann. O árbitro não viu porque estava de costas para o lance, foi fora da disputa da bola. O VAR, então, chamou o juizão para ver o lance à beira do campo. Gol anulado corretamente.

Hoje tem gol do Gabigol, só que não!
Logo na sequência, aos 23 minutos, Gabigol recebeu sozinho dentro da área e soltou a bomba. Não deu nem tempo de comemorar. O assistente levantou a bandeira marcando impedimento. Mas engana-se quem pensa que foi um lance fácil. Foi milimétrico! Levaram mais de três minutos para tomar a decisão. Inclusive, a imagem divulgada pela Conmebol não esclarece nada. Deu a impressão de que os dois estavam na mesma linha. É para dar um nó na cabeça do telespectador! Para saber se a decisão foi correta? Só esperando a Conmebol divulgar novas imagens e os áudios da cabine. Aguardem as cenas do próximo capítulo!

Alexandre Vidal/Flamengo

De não foi falta para um possível vermelho
Aos 38 minutos, Michel deu um pisão no pé/tornozelo de Gerson na disputa da bola. Pitana não marcou nada. O VAR achou que era para vermelho claro. Esse lance é um daqueles que, no meio da arbitragem, chamamos de “laranja”, fica entre o amarelo e o vermelho. Por isso, nesses casos, é importante que o árbitro entenda qual cor do cartão é melhor para o jogo. Foi o que fez Pitana: o amarelo foi uma ótima decisão! O jogo aceitou. E, claro, ele pode ter sido influenciado pelo vermelho da outra semifinal entre River x Boca, que também era laranja, mas o juiz acabou dando vermelho que não era a melhor decisão para a partida.

De novo gol do Gabigol. E, de novo, só que não!
Aos 34 minutos do segundo tempo, Arão cruzou a bola e Gabigol só empurrou para dentro. Só que Gabigol estava adiantado. Dessa vez, a imagem era clara, mesmo assim o VAR demorou um eternidade para anular o gol.

Alexandre Vidal/Flamengo

No fim, quem teve mais trabalho foram os narradores e torcedores. Com essa história de VAR ficaram perdidos na hora de gritar gol. Moro no Rio e, aqui, o que mais se ouvia eram os gritos tanto da torcida do Flamengo quanto o da torcida contra o Flamengo. Um festival de provocações a céu aberto! O jogo de volta será no Maracanã, dia 23 de outubro, às 21:30. Esse jogo promete!

Últimas notícias