Vivi Araújo fará sétima luta no UFC; Vicente Luque pede Nate Diaz

Brasilienses no UFC se preparam na capital para combates nos próximos meses pela organização

atualizado 24/10/2021 23:06

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Um lutador de MMA vive dois principais tipos de ansiedade na carreira: o momento que antecede a marcação de um combate e as semanas após a confirmação das lutas, à medida que a hora de entrar no octógono se aproxima.

É a situação que define bem os brasilienses Vicente Luque e Vivi Araújo. Os lutadores da Cerrado MMA estão bem próximos de voltar a lutar pelo UFC. Vivi teve novo combate confirmado nesta semana e Luque segue na indefinição de quem enfrentará no Top 5 dos meio-médios da organização.

0
Data marcada

Janeiro de 2022. É o mês que marcará o retorno de Vivi Araújo ao UFC. A brasilense, sétima do ranking no peso-mosca feminino, enfrentará Alexa Grasso, décima colocada. O embate está marcado para o dia 22.

Vivi lutava contra a expectativa da espera em ter um novo compromisso pela organização de Dana White.

“Praticamente todas as meninas da categoria estão com lutas marcadas. A gente ficou um tempo longo sem lutar. Então a gente fez um trabalho psicológico para lidar com isso. Nesse tempo aproveitamos para reparar alguns erros e chegar bem para esta luta, que será um grande desafio”, diz Vivi, que atuou pela última vez no UFC em maio, na derrota para Katlyn Chookagian, número dois do ranking.

Com seis lutas no UFC, sendo quatro vitórias, Vivi sabe do desafio do próximo embate. “Ela é muito agressiva. Mexicana. Os mexicanos são conhecidos pelo boxe afiado. Então a gente está preparando muito essa parte também, principalmente para não deixar nas mãos do juízes”, aponta.

Em seu último combate, Vivi acabou derrotada por decisão unânime, em um resultado polêmico.

No aguardo

Já Vicente Luque ainda segue sem confronto marcado. No quarto lugar dos meio-médios, The Silent Assassin não tem adversário definido entre os cinco melhores da categoria.

Um combate contra Nate, o mais novo dos polêmicos irmãos Diaz, vem sendo bastante especulado nas redes sociais. Os dois chegaram a se acertar virtualmente, mas o UFC não sinalizou com a oficialização da luta.

“Eu e o Nate já demonstramos que a gente quer a luta, mas estamos esperando o UFC. Eu entendo que tem que fazer sentido financeiramente para o UFC, tem que ser uma luta que vai vender bastante, mas eu acredito que vai vender sim. Pelo meu estilo, pelo estilo do Nate e sei que para os fãs será uma grande luta”, garante Vicente.

Top 5

O lutador de Brasília vem de quatro vitórias consecutivas no UFC e está ciente das dificuldades que enfrentará até um possível desafio pelo cinturão.

“Estou treinando como se eu fosse lutar em dezembro. Estou na esperança de fechar. Se não fechar eu estou pronto para qualquer desafio. Agora não tem jeito: eu preciso enfrentar quem está no topo. O Nate não está no ranking, mas é um cara de muito nome no UFC, então eu abriria essa exceção. Mas tirando ele, eu realmente preciso mirar os caras do topo”, finaliza Vicente.

Até o momento, o Top 5 dos meio-médios tem apenas um confronto agendado: o campeão Kamaru Usman dará ao norte-americano a revanche do combate entre os dois.

Em 2019, o nigeriano detentor do cinturão nocauteou Covington.

Vídeos
Mais lidas
Últimas notícias