Brasil joga bem, domina o jogo, mas fica no zero com a Costa do Marfim

Seleção jogou com um a menos durante boa parte do jogo

atualizado 25/07/2021 7:28

Francois Nel/Getty Images

Defendendo o ouro olímpico, o Brasil encara a Costa do Marfim. Após vencerem na estreia, as duas seleções fizeram um jogo mais frio do que o costume. Sem tantas emoções, a partida não teve gols e terminou no 0x0.

Douglas Luiz foi expulso ainda aos treze minutos de jogo e deixou o Brasil com um a menos. Já no segundo tempo, aos 34, Kouassi deixou tudo igual em campo.

Dúvidas para o jogo após serem poupados, Nino e Douglas Luiz vão a campo. Eles sentiram um desconforto muscular, mas estão pronto para o duelo.

Com isso, o Brasil segue com o mesmo time que derrotou a Alemanha, assim como a Costa do Marfim, que venceu a Arábia Saudita por 2×1.

Os dois times começaram propondo bem o jogo. Tanto que, aos três minutos, uma chance de perigo para cada lado. Do lado brasileiro, Richarlison puxou bem pela esquerda e cruzou para área. Atento, Tape ficou com a bola. Na resposta, Gradel recebeu a bola dentro da área, chutou forte e até balançou as redes, mas pelo lado de fora.

Aos onze minutos, o jogo seguiu muito estudado, com o Brasil ficado mais tempo com a bola, mas sem conseguir furar a forte linha defensiva martinense. Arana, pelo lado esquerdo, era o mais acionado.

Porém, com doze minutos no relógio, Douglas Luiz saiu jogando errado e precisou fazer a falta em Dao e levou o cartão amarelo. Por considerar uma falta em que tira uma chance clara de gol, o VAR convidou o árbitro a rever a jogada e a cor do cartão foi alterada. Ele retirou o amarelo e expulsou o camisa cinco brasileiro.

Apesar da desvantagem numérica, o Brasil não ficou atrás e seguiu o plano ofensivo proposto por Jardine, buscando o gol a todo momento. Mas ainda sem sucesso. As chegas brasileiras paravam na zaga ou em Tape, mas sem oferecer perigo.

Já a Costa do Marfim, aproveitava a força física para pressionar e tentar roubar a bola ainda no campo de ataque. Mas, também, sem assustar.

Aos 43 minutos, finalmente uma boa chegada brasileira. Richarlison, artilheiro da Seleção na competição, recebeu a bola na quina direita da área, puxou para a perna esquerda e bateu forte. Bem posicionada, Tape jogou a bola para escanteio.

Assim se foi o primeiro tempo, sem grandes chances de gol e o Brasil com um jogador a menos. O camisa dez brasileiro, autor de três na estreia, Richarlison foi para o vestiário com bastante cara de dor após chegada mais dura.

Para o segundo tempo, Jardine não mexeu no time, mas deu uma chacoalhada em sua equipe. Tanto que o Brasil seguiu melhor no jogo, pressionando os adversários.

Aos doze minutos, Claudinho partiu para cima da marcação e deu um grande passe para Matheus Cunha em profundidade. Porém, antes do camisa nove bater para o gol, Bailly tocou para escanteio.

E foi o atacante brasileiro que teve outra grande oportunidade de abrir o placar. Bruno Guimarães cruzou para a área, Cunha cabeceou, mas tape, bem posicionado, fez a defesa.

Aos 34 minutos, Kouassi fez a boa para o Brasil. Após falta em Martinelli, ele levou o segundo cartão amarelo e também foi para o vestiário mais cedo.

Mesmo com todo um a menos, a Seleção Canarinho dominou todo o segundo tempo e não permitiu que os marfinenses chegassem com perigo.

Com um leque de opções na banco, Jardine até tentou mexer no time, mas de nada adiantou.

O último grande lance do jogo foi de Malcom, que subiu sozinho após cruzamento na área, mas não conseguiu abrir o placar.

O próximo jogo do Brasil será contra a Arábia Saudita, quarta-feira, às 5h.

Brasil: Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Douglas Luiz, Bruno Guimarães, Antony (Malcom) e Claudinho; Richarlison e Matheus Cunha (Martinelli).

Costa do Marfim: Ira Eliezer Tape; Ouattara (Kouao), Singo, Eric Bailly, Dabila e  Diallo; Kouassi, Traoré (Kouamé), Franck Kessie e Max Gradel; Dao (Timiti)

Cartões Amarelos: Diallo e Kouassi(Costa do Marfim)

Cartões Vermelhos: Douglas Luiz (Brasil)

Vídeos
Últimas notícias