Em jogo eletrizante, Brasil e Holanda empatam e adiam a classificação

Em jogo de seis gols, as duas equipes lideram o grupo com quatro pontos cada

atualizado 24/07/2021 9:59

Koki Nagahama/Getty Images

Após golearem na estreia, Brasil e Holanda entraram em campo para um jogo muito aguardado. Favoritas, as duas equipes se lançaram ao ataque e brindaram o torcedor com muita bola na rede, seis para ser mais exato. O empate em 3×3 não as classifica, mas deixa muito encaminhado, já que o saldo de gols é muito favorável.

Ambas goleada na primeira rodada. Enquanto o Brasil fez 5×0 na China, as holandesas massacraram Zâmbia por 10×3.

No outro jogo do grupo, Zâmbia e China também empataram em um jogo cheio de gols, 4×4.

Com as duas igualdades, Brasil e Holanda lideram o grupo com quatro pontos cada, enquanto as duas outras equipes do grupo estacionaram com um.

A decisão da vaga será na próxima terça-feira, 27, às 08h30. A Seleção Canarinho joga contra a Zâmbia, enquanto China e Holanda medem forças

O Brasil começou com a bola no primeiro tempo e foi tentando ganhar terreno. Porém, quem teve a primeira chance de abrir o placar foi a Holanda. E conseguiu. Logo aos dois minutos, Wilms teve muito espaço pela direita e cruzou rasteiro para dentro da área. Miedema, artilheira da competição com cinco gols, girou em cima de Érika e chutou no cantinho para abrir o placar.

Após o gol, o Brasil não abaixou a cabeça e tentou a rápida reação. Tanto que, aos sete, após uma jogada confusa dentro da área, a árbitra apontou a marca do pênalti. Após consultar, o VAR, porém, a falta foi anulada.

Porém, serviu para acoar as adversárias, que recuaram após fazer 1×0.

Melhor no jogo, a Seleção Canarinho continuava pressionando e não demorou muito para colocar a igualdade no placar. Aos 16 minutos, Debinha recebeu a bola no meio e encontrou Duda, nas costas da marcação. A camisa sete foi a linha de fundo e cruzou para área. A camisa nove, que começou a jogada, dominou na pequena área e chutou. A bola bateu na marcação e voltou para ela, que não perdoou e empatou o jogo para o Brasil.

Com o empate no placar, a seleção verde e amarelo seguiu tentando virar o marcador. Por sua vez, a Holanda buscava uma escapa em contra-ataque. Tanto que, aos 25 minutos, a posse de bola apontava uma superioridade brasileira, com 63%.

Muito brigado no meio, o jogo seguiu sem grandes emoções. Pelo lado laranja, Miedema era a jogadora mais perigosa e chegou a fazer boas jogadas, mas que não balançaram as redes.

Do lado brasileiro, Debinha e Bia eram as válvulas de escape. Marta até tentou surpreender em um cruzamento direto para o gol, mas a bola foi para fora.

No último minuto, aos 48, quase que Rafaelle faz um bonito gol de cabeça. Andressinha cruzou e a zagueiro subiu sozinha e testou a bola para fora.

Mesmo após um primeiro tempo superior, Pia promoveu três alterações em sua equipe. Saíram Formiga, Duda e Bia Zaneratto, para as entradas de Angelina, Andressa Alves e Ludmila.

Após um início bem truncado, a bola ficava bem disputada no meio do campo, sem grandes chances para as duas equipes.

O panorama mudou aos 12 minutos. Após um escanteio, que saiu em falha da zaga brasileira, Martens cruzou para área. Miedema, sempre ela, aproveitou novo vacilo verde e amarelo e cabeceou para colocar as holandesas, novamente, a frente no placar. Impossível, a camisa nove chega ao sexto gol em dois jogos.

Repetindo o roteiro da primeira metade, o Brasil não se acanhou após ficar atrás no marcador e pressionou para empatar logo na sequência.

E, dessa vez, foi o que aconteceu. Cinco minutos depois, Ludmila partiu para cima da marcação e foi derrubada por Van der Gragt. Após consultar o VAR, o pênalti foi confirmado. Dessa vez, Marta pegou a bola e foi para a cobrança. Muito bem, a camisa dez deslocou a goleira adversária e igualou a partida, 2×2.

Ludmila entrou muito bem no jogo. Prova disso é que, após sofrer a penalidade máxima, ela virou o jogo para o Brasil. Nouwen tentou recuar a bola para Van Veenendaal, mas a bola parou na camisa 12, que tirou a goleira da jogada e empurrou para o gol vazio para colocar o terceiro no placar.

Assim como todos os jogos do grupo, gol é o que não falta. Ludmila fez falta boba na entrada da área, levou o cartão amarelo e ainda criou uma grande oportunidade para as holandesas. Tão perigosa, que acabou em gol. Janssen cobrou muito bem, no ângulo da goleira Bárbara, que nada pôde fazer. Golaço da lateral, que empata, mais uma vez, aos 35 minutos do segundo tempo.

O final do jogo ficou morno, sem grandes sustos para ambos os lados. Com isso, o jogo terminou empatado, em mais uma boa exibição brasileira, que consertar os erros defensivos.

Brasil: Bárbara; Bruna Benites, Érika, Rafaelle e Tamires; Formiga (Angelina), Andressinha, Duda (Andressa Alves) e Marta (Geyse); Bruna Zaneratto (Ludmila) e Debinha. Técnica: Pia Sundhage.

Holanda: Van Veenendaal; Wilms, Van der Gragt, Nouwen, Janssen; Groenen, Roord, Van de Donk, Van de Sanden, Miedema e Martens. Técnica: Sarina Wiegman.
Gols: Miedema, aos quatros, Debinha, aos 16 minutos do primeiro tempo. Miedema, aos 13, Marta, aos 18, Ludmila, aos 22, Janssen, aos 35 minutos do segundo tempo.
Cartão Amarelo:  Van der Gragt (Holanda) Ludmila (Brasil)

Local: Miyagi, Japão.

Vídeos
Últimas notícias