Tenista em Wimbledon: “Insultos racistas já são normais para mim”

Em entrevista coletiva após vitória na estreia do torneio, atleta britânica afirma estar acostumada também com ameaças de morte

Twitter/ReproduçãoTwitter/Reprodução

atualizado 01/07/2019 16:42

A britânica Heather Watson mal teve tempo de comemorar a vitória na primeira rodada de Wimbledon, diante da norte-americana Caty McNelly, por 2 x 0 (7/6 e 6/2). Em entrevista após o triunfo, a jogadora de 27 anos disse já estar acostumada com os insultos racistas e ameaças de morte que vêm sofrendo. As declarações vêm na esteira da prisão de um homem que foi detido após fazer ameaças on-line a vários tenistas.
“Na verdade, isso é bem triste de dizer, mas essas coisas são normais. Eu venho lidando com isso durante toda a minha carreira e acho que todas as jogadoras passam por isso no ambiente on-line. A WTA (Associação das Tenistas Profissionais) é muito boa com a gente nesse sentido e nos ajuda bastante na investigação”, detalha.
Apesar de nascida na Grã-Bretanha, Watson é filha de mãe nascida em Papua Nova-Guiné, o que pode contribuir nos ataques racistas sofridos pela tenista.
Problemas à parte, Heather Watson já tem novo compromisso nas quadras do All England Club. A atleta de 27 anos enfrenta, nesta quarta-feira (03/07/2019), a estoniana Anett Kontaveit, cabeça de chave número 20 do torneio.

Últimas notícias