Palmeiras x River 21 anos depois: relembre semi da Libertadores de 1999

Times se enfrentaram uma fase antes do título do Alviverde naquele ano. Reveja tudo sobre os jogos que encaminharam a taça ao Verdão

atualizado 05/01/2021 12:36

Palmeiras x River Plate 1999Paulo Pinto / Estadão

Palmeiras e River Plate se reencontrarão na semifinal da Libertadores. O jogo de ida está marcado para esta terça-feira (5/1). Em 1999, ano do título do alviverde na competição continental, os dois times se enfrentaram na mesma fase do torneio.

Relembre como foram os dois duelos que deram a classificação ao time brasileiro à final e à conquista da taça de campeão do continente.

Derrota na Argentina
Os rivais brasileiros confirmaram as vagas à semifinal após baterem equipes compatriotas nas quartas. O River Plate superou Vélez Sarsfield em jogos duros, com vitória por 2 x 0 e derrota por 1 x 0 na volta, o suficiente para garantir o avanço.

Já o Palmeiras teve pela frente nada mais nada menos que o arquirrival Corinthians. Com uma vitória por 2 x 0 para cada, o jogo foi definido na disputa por pênaltis. A estrela do goleiro Marcos brilhou e o Porco garantiu a vaga na semifinal.

Por ter feito melhor campanha, o Palmeiras decidiria a parada em casa. O alviverde apostava no fator domiciliar para ficar com a vaga na final. E em um Monumental de Nunez lotado, os brasileiros sofreram. O River contava com jogadores da estirpe de Sorín e Pablo Aimar no elenco. Marcelo Gallardo, atual treinador do River, era o camisa 10 daquele time.

“O River teve as suas oportunidades na Argentina, nos venceu por 1 x 0, e acredito até que tenha ficado barato para o nosso time. O Marcão teve uma noite brilhante em Buenos Aires. Em São Paulo, o River também teve as suas chances, devido à qualidade que tinha, possuía uma equipe forte coletivamente, e individualmente, se lembrarmos os nomes, veremos que encontramos um River fortíssimo”, relembrou o meia Alex, em entrevista ao Lance.

Mas os brasileiros resistiram à pressão e acabaram perdendo apenas por 1 x 0, com gol marcado por Sergio Berti. Mais uma vez, brilhava a estrela de Marcos, que evitou o pior e levou a decisão para o Parque Antártica.

O brilho do 10
E a parada seria decidida em São Paulo.

Felipão mandou a campo o Verdão escalado com Marcos; Arce, Roque Júnior, Agnaldo e Rubéns Junior; César Sampaio, Rogério, Zinho e Alex; Paulo Nunes e Oséas.

Logo aos 16 minutos, o Palmeiras empatava o confronto. Zinho deixou Alex na boa para chutar forte e abrir o placar, incendiando o Palestra Itália. Dois minutos depois, Oséas cruzou na cabeça de Roque Junior, aumentando a vantagem no duelo.

O jogo prosseguiu com o River partindo para a pressão em busca do gol de empate no placar agregado. E outra vez, Marcos atuava como a muralha verde, fazendo grandes defesas e impedindo o gol dos hermanos. Mas o Palmeiras não recuou e também respondia. O alviverde chegou a colocar três bolas na trave do time argentino.

De tanto tentar, o alviverde matou a parada. E mais uma vez com Alex. No segundo tempo, o meia recebeu na direita, ajeitou o corpo e chutou colocado sem chance de defesa para o goleiro Bonano. E o Palmeiras garantia a vaga na final.

“Fomos superiores na maioria do tempo e passamos com propriedade, chegando fortes para decidir a competição e, depois, acabamos ganhando a Libertadores, que era o sonho maior daquele período. É um jogo realmente bem próximo da perfeição dentro do que buscávamos naquele momento. É inesquecível”, finaliza o craque.

Na decisão, o alviverde enfrentou o Deportivo Cali, da Colômbia. O time brasileiro perdeu na casa do adversário por 1 x 0 e venceu em São Paulo por 2 x 1. O Palmeira venceu a disputa nos pênaltis por 4 x 3 e sagrou-se campeão da Libertadores de 1999.

Vídeos
Últimas notícias