“Vamos pagar isso. No amor ou no ódio”, diz Andrés sobre Itaquerão

Presidente do Corinthians afirmou à Fox Sports ter retornado ao cargo por se julgar o único capacitado a resolver o financiamento do estádio

Daniel Augusto Jr/Ag. CorinthiansDaniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

atualizado 16/07/2019 17:08

Conhecido pela forte personalidade, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, usou palavras duras para garantir que o clube pagará dívida de R$ 400 milhões contraída ao erguer o estádio em Itaquera, o Itaquerão, para a Copa do Mundo de 2014.

Em entrevista à FOX Sports, Andrés tentou explicar a divisão de débitos entre o Corinthians, construtora e o Estado. “O Corinthians acertou R$ 400 milhões e o Corinthians paga. Os outros R$ 420 milhões são problema do governo, da Odebrecht, do raio que os parta. Nós vamos pagar isso. No amor ou no ódio”, esbravejou o mandatário corintiano.

O valor total da dívida é discutido entre todas as partes mas, em maio deste ano, o Estadão apurou que a Odebrecht precisaria receber ainda R$ 650 milhões e o BNDES, R$ 460 milhões.

O presidente Andrés Sanchez reconhece que há juros e encargos em cima do valor inicial, mas discorda que o Corinthians tenha participação nisso. “Não (cobraram juros) de nós. Rolaram R$ 86 milhões de juros. Então, quando o dinheiro do BNDES saiu, não entraram os R$ 400 milhões. Entraram R$ 320 milhões. Dos R$ 800, 900 milhões, já tem R$ 86 milhões de juros, que não estavam na previsão.”

Os custos para a construção do Itaquerão foram de R$ 985 milhões.

Últimas notícias