Segurança chora ao recordar ato racista em Cruzeiro x Atlético-MG

O vídeo do profissional sendo hostilizado por torcedores atleticanos dentro do Mineirão viralizou nas redes sociais

atualizado 11/11/2019 10:07

Reprodução

As cenas de violência durante o clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG nesse domingo (10/11/2019) circulam aos montes nas redes sociais. Em meio ao cenário de guerra que se transformou o jogo válido pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, um ato racista viralizou e provocou revolta. Após o empate por 0 x 0, atleticanos se desentenderam com seguranças do Mineirão e os hostilizaram. “Olha a sua cor”, gritou um dos torcedores.

O Atlético-MG chegou a emitir nota contra a manifestação racista, mas nada irá amenizar a dor do segurança Fábio Coutinho, de 42 anos. Nesta segunda-feira (11/11/2019), ele ainda tenta digerir o que ocorreu no Mineirão e pretende registrar ocorrência contra o agressor, assim que identificá-lo.

“Foi triste. Foi uma situação lastimável. São vários vídeos, existe a imagem que ele falou ‘olha a sua cor’, ‘sua mãe está na zona’, mas o momento mais repugnante foi quando ele cuspiu na minha face”, relata o segurança, em entrevista ao Super FC, do O Tempo.

“Realmente eu não fiz nenhuma queixa, eu não poderia abandonar o meu setor (no estádio), como eu sou um vigilante pró-ativo, após essa confusão, eu ainda fui resolver outros tumultos no estádio, mas recebi posteriormente um vídeo de um repórter que mostra a cusparada e outras imagens também em que abertamente ele (agressor) me chama de macaco”, explica Fábio.

Veja a nota oficial emitida pelo Atlético-MG:
“O Clube Atlético Mineiro repudia veementemente qualquer ato de violência, incluindo racismo, injúria ou ofensa moral, seja no estádio ou fora dele. As diversas imagens que circulam em redes sociais são lamentáveis e devem ser objeto de rigorosa apuração. O Clube se coloca à disposição das autoridades policiais e pede o máximo rigor e urgência nas investigações sobre os fatos ocorridos hoje no Mineirão”.

Vídeos
Últimas notícias