Libera ou não libera: veja o panorama sobre a volta de público aos estádios

CBF, Ministério da Saúde, estados e clubes vivem um impasse e retorno de torcedores aos jogos ainda é incerto

atualizado 26/09/2020 9:03

Paula Reis / Flamengo

O retorno do público aos jogos de futebol no Brasil tornou-se a mais nova polêmica no cenário do esporte no país. CBF, governo federal, estados, especialistas e clubes divergem sobre o assunto e o martelo sobre a volta dos torcedores aos estádios ainda não foi batido.

CBF, governo e FERJ

Na última semana, a CBF enviou um estudo ao Ministério da Saúde propondo um retorno gradual do público às partidas de futebol em território nacional, em competições da confederação. Tópicos como presença de apenas 30% da capacidade do estádios e participação apenas de torcedores das equipes mandantes estavam na proposta.

O Ministério da Saúde gostou do que leu e aprovou o estudo. A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) defende de forma imediata a volta do público aos jogos no Rio. A federação tem o aval da prefeitura, que já permitiu a realização de jogos com torcida. O retorno dos torcedores já teria até data marcada: 4 de outubro, no jogo do Flamengo contra o Atlhetico-PR, pelo Campeonato Brasileiro.

O governo do Rio também autorizou o retorno. Mas em reunião na tarde dessa quinta-feira (24/9), com os representantes de clubes e a FERJ, nada de acordo. A federação se posicionou favorável à volta imediata dos torcedores, e a CBF mantém uma posição mais ponderada, ouvindo todos os clubes. Resultado: o encontro acabou em bate-boca e até xingamentos entre o presidente da FERJ Rubens Lopes e Rogério Caboclo, presidente da CBF, e nada ficou acertado.

Volta precoce

Alberto Chebabo, infectologista do Laboratório Exame, não aprova o retorno. “O retorno de público é inconsequente. As pessoas não vão ficar separadas. Vai haver aglomeração na entrada, dentro do estádio. Ainda há a questão do transporte público. Elas não vão a pé ao estádio, vão de transporte público, de metrô, de ônibus, aumentando a aglomeração”, alerta.

“Não é uma das medidas que devem ser tomadas no momento. O retorno de público aos estádios é completamente inadequado neste momento”, adverte o especialista.

Os clubes

A maioria dos 20 times da Série A é a favor do retorno de público aos jogos. O questionamento é como isso será feito. Os clubes defendem que a volta seja feita de forma gradual e de maneira igualitária, sem favorecer uma ou outra equipe.

Todos os clubes defendem que todos os cuidados possíveis sejam tomados e as medidas de prevenção ao Covid-19 respeitadas.

A novela ganhará nos capítulos nos próximos dias. Mas a sinalização é de que em outubro o torcedor já possa acompanhar novamente seu time nos estádios.

Vídeos
Últimas notícias