Jorge Jesus convive com pressão e Benfica vai à Justiça após ameaça

O treinador teve uma entrevista coletiva cancelada neste domingo e o presidente do clube, Luis Filipe Vieira, irá conversar com a imprensa

atualizado 28/02/2021 15:33

Jorge Jesus no BenficaRita Franca/NurPhoto via Getty Images

Vandalismo, faixas de protesto e, agora, ameaça de morte. A crise no Benfica, comandado por Jorge Jesus, tem aumentado a cada dia e, de acordo com o jornal A Bola, vai parar na Justiça. Faixas estendidas no Estádio da Luz cobram a saída do presidente, Luis Filipe Vieira, em tom nada cordial.

“Vieira, demite-te, matamos-te”, “Morte à família Vieira”, eram algumas das frases no estádio. Ainda segundo o jornal português, ameaça de morte é punível com pena de prisão de um ano, conforme artigo 153º do Código Penal de Portugal.

Por conta dos insultos, o Benfica irá fazer uma queixa-crime. O presidente Luis Filipe Vieira deve se pronunciar a respeito dos protestos neste domingo (28/2), dia em que o clube completa 117 anos. A ideia é saudar o Benfica, mas sabe-se que será difícil evitar as polêmicas.

A entrevista coletiva com o técnico Jorge Jesus marcada para este domingo antes da partida contra o Rio Ave foi cancelada, mas, segundo o clube, por uma questão de coerência. Isso ocorreu porque “não faria sentido Jorge Jesus marcar presença, três horas antes, numa conversa com a comunicação social”, já que o presidente irá se pronunciar.

Vídeos
Últimas notícias