*
 

Com o empate por 0 a 0 diante da Suécia, em Milão, a Itália desperdiçou a última chance na repescagem e, após 60 anos, estará de fora de uma Copa do Mundo. Será a terceira vez na história — e a primeira desde 1958, no Mundial da Suécia, que deu o primeiro título ao Brasil — que a tetracampeã Azzurra não disputará o título.

Em número de participações, a Itália, agora, está atrás apenas do Brasil (que na Rússia fará sua 21ª participação em 21 edições do torneio), e da Alemanha, que na Rússia fará sua 19ª aparição; após o fracasso nas eliminatórias, agora, a Azzurra estacionou em 18 presenças.

A primeira vez que a Azzurra ficou de fora foi na edição de estreia, em 1930, no Uruguai, quando muitos países europeus abdicaram de disputar a competição por causa da cara e cansativa viagem de navio até a América do Sul – apenas Bélgica, França, Iugoslávia e Romênia representaram o continente.

Depois dos títulos em 1934 e 1938, a Azzurra voltaria a se ausentar de uma Copa em 1958, na Suécia, porém desta vez por demérito próprio. Nas Eliminatórias da Europa, a então bicampeã dividiu grupo com Irlanda do Norte e Portugal e chegou à última rodada precisando de apenas um empate para se classificar.

No entanto, em 15 de janeiro de 1958, acabou derrotada pelos norte-irlandeses em Belfast por 2 a 1 – o gol da Azzurra foi marcado pelo ítalo-brasileiro Dino da Costa – e terminou a chave na segunda posição, ficando de fora do Mundial.

Desde então, a Itália esteve presente em todas as Copas e ainda ganhou mais dois títulos, em 1982 e 2006. Nas últimas duas edições, contudo, o país não conseguiu passar da fase de grupos, desempenho que, agora, refletiu na péssima campanha nas eliminatórias.

 

 

COMENTE

Copa do MundoItáliarússia
comunicar erro à redação

Leia mais: Futebol