Gerson e Pablo Marí festejam chance de poder defender o Fla

Novos reforços do Rubro-Negro também celebraram a oportunidade de defender o time na Copa Libertadores

Twitter/ReproduçãoTwitter/Reprodução

atualizado 19/07/2019 20:16

Recém-contratados pelo Flamengo, o meia Gerson e o zagueiro espanhol Pablo Marí foram oficialmente apresentados, no final da tarde desta sexta-feira (19/07/2019), como novos reforços do clube e festejaram amplamente a oportunidade que ganharam de poder defender o time carioca. Regularizados na CBF e consequentemente à disposição do técnico Jorge Jesus para estrear no duelo diante do Corinthians, neste domingo (21/07/2019), às 16h, em São Paulo, pelo Brasileirão, os dois jogadores estavam no futebol europeu e agora esperam poder justificar a aposta feita pela direção rubro-negra ao contratá-los.

O meio-campista de 22 anos, que pertencia à Roma, estava atuando por empréstimo pela Fiorentina e foi adquirido por 11,8 milhões de euros (aproximadamente R$ 49,8 milhões). Pablo, de 25, vinha jogando pelo La Coruña e pertencia ao Manchester City, que não renovou vínculo com o atleta após o último dia 30 de junho, quando o seu contrato se encerrou com o clube inglês, nunca defendido pelo atleta em uma partida.

Os dois reforços celebraram a chance de jogar pelo Flamengo ao citar principalmente a Copa Libertadores, na qual o time terá pela frente o Emelec na próxima quarta-feira (24/07/2019), em Guayaquil, no Equador, no confronto de ida das oitavas de final. “Na Espanha a Libertadores é vista a nível mundial, é um prazer vir jogá-la. Não poderia ter mais orgulho de vestir essa camisa e brigar por ela. É um clube com mais de 40 milhões de torcedores, é algo que como pessoa me dá orgulho por estar aqui. Tenho essa sorte e darei tudo”, ressaltou Pablo, que também comentou o fato de não ter conseguido espaço para atuar no Manchester City.

“Era complicado jogar lá, mas apostaram em mim. Para mim é grandioso vir a defender este clube tão importante a nível mundial. Feliz por passar no City, mas mais feliz por estar aqui”, destacou Pablo, que em sua apresentação vestiu a camisa 4, que foi do ídolo flamenguista Juan, agora aposentado dos gramados. “Juan foi um dos melhores zagueiros do Brasil e do mundo. Pra mim é uma honra herdar o número dele, defenderei com sangue até o último dia em que estiver aqui”, prometeu.

Gerson, por sua vez, fez questão de exaltar a sua identificação com o Flamengo depois de ter iniciado a sua carreira profissional pelo Fluminense, que ele defendeu entre 2014 e 2016. Ele lembrou uma decepção vivida como torcedor flamenguista na Libertadores de 2008, quando o time rubro-negro foi surpreendido pelo América do México com uma derrota por 3 x 0 no confronto de volta das oitavas de final, no Maracanã, sendo que havia vencido o duelo de ida por 4 x 2.

“Tenho um respeito muito grande pelo Flu, mas sempre tive sonho de jogar no Fla. Quem me conhece sabe. Tive oportunidade, não pensei duas vezes. Muitos têm esse sonho, agarrei com força. Quando jogar contra eles (da equipe tricolor), vou respeitar, mas defender o meu”, avisou Gerson, revelando que estava nas arquibancadas do Maracanã naquele duro revés sofrido pela equipe rubro-negra há 11 anos pela Libertadores.

“Quando o Flamengo foi eliminado pelo América do México, fiquei uma semana direto chorando, chorando, era torcedor doente pelo Flamengo. Hoje vestindo a camisa quero mudar isso e lembrar só de coisas boas”, projetou o atleta, garantindo também que aceitará com naturalidade se inicialmente o treinador Jorge Jesus optar por deixá-lo entre os reservas nas partidas. “O elenco é muito qualificado. Se for opção do treinador, vou respeitar. Só de estar nesse elenco já fico feliz”, destacou.

Últimas notícias