Estudo revela que casos de racismo e homofobia estão aumentando no futebol

A entidade Kick It Out pede que os clubes e a polícia compartilhem mais dados para ajudar no combate ao preconceito

atualizado 03/09/2020 14:17

A entidade Kick It Out (Chute para fora ou Expulse, em tradução livre) afirmou que casos de racismo e homofobia aumentaram na última temporada do futebol. Segundo o estudo, houve 446 incidentes de abuso relatados durante a temporada 2019-20 no futebol europeu, um aumento de 42% em relação à jornada passada. O aumento vem mesmo com grande parte das partidas sendo disputadas com os portões fechados devido à pandemia de coronavírus.

“Nós precisamos de dados melhores para identificar o que está acontecendo e poder criar soluções mais eficazes para combater o preconceito”, afirmou Sanjay Bahandari, presidente da organização, ao The Guardian. “Quando acontece um crime de hackeamento de computador, nós sabemos se o autor foi uma criança em um quarto, se foi um vírus ou algo patrocinado pelo governo. Nós não temos esses equivalentes no futebol ou na sociedade”, explicou.

De acordo com os números divulgados, relatos envolvendo o racismo cresceram 53%, de 184 para 282 na atual temporada; em relação a ofensas homofóbicas, a Kick It Out recebeu 117 denúncias, em comparação com 60 feitas na atual temporada, um aumento de 95%. O ponto positivo é que discriminações envolvendo religião e gênero diminuíram.

Bhandari alertou que as redes sociais são um “grande campo de batalha para o ódio” e que são necessárias mais regulamentações e que as empresas façam parte da solução.

Vídeos
Últimas notícias