Em outra decisão por pênaltis, Brasiliense elimina o Cuiabá na Copa Verde

O Jacaré perdeu apenas uma cobrança, e contou com mais uma noite iluminada de Edmar Sucuri, que defendeu duas penalidades

atualizado 21/10/2021 0:07

Ednilson Aguiar/Esp. Metrópoles

A decisão por pênaltis está sendo um amuleto do Brasiliense Futebol Clube. Na noite desta quarta-feira (20/10), o Jacaré foi até a Arena Pantanal para enfrentar o Cuiabá pelas oitavas de final da Copa Verde. Em um jogo extremante estudado e com boas chances para cada lado, o zero permaneceu no placar até o apito final e as penalidades decidiram a vaga para a próxima fase da competição. Com sete cobranças convertidas contra seis, a equipe do DF volta para casa com a classificação.

O Jacaré perdeu apenas uma cobrança, e contou com mais uma noite iluminada de Edmar Sucuri, que defendeu duas penalidades.

O adversário do esquadrão amarelo nas quartas de final será o Nova Mutum, em partidas de ida e volta. O primeiro jogo será na casa da equipe mato-grossense, ainda sem data nem horário definido pela CBF.

0

Primeiro tempo

O jogo inicio com um calor de 31º na Arena Pantanal, mas o futebol apresentado em campo era frio e estudado nos primeiros minutos. Com três jogados, o Cuiabá chegou, mas não foi em uma finalização concreta. Osman dividiu a bola com Sucuri após um cruzamento, o goleiro do Jacaré soltou a bola, mas se recuperou antes que o ataque do Dourado concluísse a gol.

A resposta do Jacaré foi com um tiro de fora. Aos oito minutos, Alan Mineiro carregou pelo meio com liberdade e soltou a bomba da entrada da área, mas o chute saiu por cima.

Após os 10 minutos, o jogo foi todo ditado pela equipe da casa. Danilo Gomes recebeu livre pela direita, carregou para o meio e bateu em cima de Railon que desviou para escanteio. Na cobrança, Osman apareceu na segunda trave e cabeceou com muito perigo por cima do gol.

Todas a finalizações do Dourado passavam pelos pés de Osman. Aos 19 minutos, o camisa 10 bateu cruzado e a bola saiu rasteiro pela linha de fundo. Quatro minutos mais tarde, em uma cobrança de falta de Guilherme Pato pela direita, o meia cabeceou por cima. Dois minutos depois, Osman cruzou e Rafael Papagaio pegou de primeira um belo chute que saiu pela esquerda.

O jogo teve uma queda nas jogadas ofensivas após a blitz do Cuiabá. O meio campo ficou disputado e as chances só voltaram a acontecer nos acréscimos, mas dessa vez pelo lado do Jacaré. Aos 48’, Victor Rangel recebeu na entrada da área, tirou a marcação com um giro e finalizou por cima. No lance seguinte, W. Balotelli avançou pela esquerda e bateu rasteiro pela linha de fundo.

No último minuto no primeiro tempo, Peu chegou ao fundo e tentou surpreender Rafael Bretas com um chute direto para o gol, mas o goleiro do Dourado, bem posicionado, ficou com a bola sem ceder o rebote.

Jacaré melhora no jogo

O segundo tempo foi ainda mais estudado. As chances eram raras com as defesas cumprindo suas funções de maneira quase que perfeita. A primeira finalização da segunda etapa saiu somente aos 10 minutos. Luquinhas, que entrou no lugar de Kesley, recebeu na entrada da área e bateu colocado, mas acabou tirando de mais e mandou pela linha de fundo.

Aos 17’, o Jacaré apostou na bola parada. Peu bateu falta rasteira, ninguém do ataque chegou para completar e a bola ficou fácil para a defesa de Rafael Bretas.

O Dourado só chegou com mais perigo aos 26 minutos. Lucas Hernandes tabelou com Rafael Papagaio e ficou caca a cara com Edmar Sucuri. O lateral do Cuiabá bateu rasteiro, mas o goleiro do Jacaré caiu no tempo certo e fez a defesa.

Aos 30’, Luquinhas tentou novamente a bola colocada de fora, mas dessa vez acertou o gol e Rafael Bretas teve que se esticar para buscar a bola no ângulo e ceder o escanteio. Na cobrança, Bernardo tentou o gol olímpico e carimbou o travessão.

Nas bolas paradas com Bernardo nas cobranças, o Jacaré levava bastante perigo ao gol. Aos 36’, o meia levantou para a área e Gustavo Henrique subiu para testar por cima.

O Cuiabá teve mais duas boas chances antes do apito final. Aos 36’, Lucas Hernandez recebeu mais uma vez acara a cara, mas bateu desequilibrado e a bola saiu tirando tinta da trave. Dez minutos depois, Caio Hila cruzou para Osman cabecear também rente a trave.

Na reposição de bola, o árbitro apitou pela última vez no tempo regulamentar e levou a decisão para a decisão por pênaltis.

Penalidades

Nas cobranças de pênalti, foram oito para cada lado, e mais uma vez Edmar Sucuri brilhou e foi decisivo. O Jacaré converteu as penalidades com Bernardo, Jorge Henrique, Luquinhas. W. Balotelli, Liel, Railon e W. Goduxo; e perdeu a terceira cobrança com Victor Rangel, que parou em Rafael Bretas.

O Cuiabá viu Sucuri pegar a cobrança de Raul, e desviar a de Gabriel Perini antes de bater na trave. Com 7×6, o Jacaré mais uma vez garantiu a vaga nos pênaltis, e vai enfrentar o Nova Mutum na próxima fase.

CUIABÁ 0 X 0 BRASILIENSE (6×7 nos pênaltis)

Copa Verde – Oitava de final

20/10/2021, 21h – Arena Pantanal, Cuiabá-MT

Árbitro: Ivan Da Silva Guimarães Junior-AM

A1: Marcos Santos Vieira-AM

A2: Uesclei Regison Pereira Santos-AM

4º árbitro: Silvio André Loureiro Lima-MT

CUIABÁ

Rafael Bretas; Caio Hila, Marllon, Anderson Conceição (Joaquim) e Lucas Hernandez (Raul); Gabriel Perini, Lucas Cardoso (Gustavo Nescau) e Osman; Danilo Gomes, Guilherme Pato (Rikelme) e Rafael Papagaio

Técnico: Alexandre Grasseli

Cartões amarelos: Osman

BRASILIENSE

Edmar Sucuri; Andrezinho, Railon, Gustavo Hnerique e Peu (W. Goduxo); Radamés (Liel), W. Balotelli e Alan Mineiro (Bernardo); Kesley (Luquinhas), Jefferson Maranhã (Jorge Henrique) e Victor Rangel

Técnico: Luan Carlos

Cartões amarelos: Radamés, Peu, Andrezinho, W. Balotelli

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias