Nos pênaltis, Brasiliense vence Rio Branco e avança de fase na Copa Verde

O Jacaré converteu todas a cinco cobranças, e Edmar Sucuri pegou a batida de Chiquinho e mais uma vez decidiu para o esquadrão amarelo

atualizado 13/10/2021 19:28

Gustavo Moreno/Especial Metrópoles

Assim como terminou a Copa Verde 2020 quando foi campeão, o Brasiliense Futebol Clube iniciou a atual edição da competição com vitória nos pênaltis. Na Boca do Jacaré, a equipe amarela recebeu o Rio Branco-ES na tarde desta quarta-feira (13/10) e foi superior durante todo o tempo regulamentar, mas o zero não saiu do placar a e decisão da vaga para a segunda fase foi para as penalidades.

O Jacaré converteu todas a cinco cobranças, e Edmar Sucuri pegou a batida de Chiquinho e mais uma vez decidiu para o esquadrão amarelo.

N segunda fase, o Brasiliense irá enfrentar o Cuiabá, também jogo único na Arena Pantanal. A partida será no próximo dia 20, às 17h.

0
Brasiliense domina o primeiro tempo

Fazendo valer o fator campo, o Brasiliense tomou as ações iniciais, mesmo com um equilíbrio da posse de bola entre a equipes. Com três minutos, Tobinha recebeu na entrada da área e arriscou o primeiro chute no gol, mas a bola saiu pela direita. O Rio Branco respondeu bem no lance seguinte. Edinho entrou na área e bateu rasteiro, mas Edmar Sucuri caiu bem e fez a defesa sem dar rebote.

Aos sete minutos, Luquinhas rolou para Alan Mineiro, que ajeitou o corpo e bateu de longe pela esquerda. Dois minutos mais tarde, Andrezinho chegou ao fundo e cruzou na medida para Victor Rangel cabecear firme e o goleiro Bambu se esticou para evitar o gol do Jacaré.

O Rio Branco teve mais uma boa chance aos 11 minutos. Bambu fez uma rápida reposição de bola acionando Chiquinho em velocidade, que percebeu Edmar Sucuri adiantado e bateu de primeira, mas o goleiro do Jacaré fez bem a leitura e espalmou a bola para escanteio.

Após o lance do Capa Preta, o jogo foi todo do Brasiliense. Aos 17’, Tobinha tentou de cabeça, mas a bola saiu por cima. Com 25 minutos, Alan Mineiro pegou a sobra e ementou um chute que saiu rente ao travessão. O jogador mais efetivo no ataque do Jacaré na partida, Tobinha recebeu pela esquerda e bateu cruzando sem muito apoio. O chute saiu fraco facilitando para a defesa de Bambu.

O último lance de perigo do jogo saiu com o Brasiliense, e foi a melhor chance da equipe no jogo. Aos 38’, Alan Mineiro lançou Aldo cara a cara com o goleiro Bambu e bateu por cobertura, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

Jacaré segue melhor, mas o zero não saí do placar

O inicio da segunda etapa não foi diferente do começo do jogo. O domínio era amarelo, e o Jacaré chegou logo com um minuto, na cobrança de falta firme de Peu, que foi no meio do gol e ficou nas mãos de Bambu.

Alan mineiro chamou a responsabilidade após os seis minutos de jogo e passou a comandar o ataque amarelo, que não tinha mais Tobinha e Luquinhas, que saíram no intervalo para as entradas de Kesley e Jefferson Maranhão. Na primeira chance de Alan Mineiro, o meia bateu de fora, mas sem muito perigo. Aos 13 minutos, o camisa 10 do Jacaré rabiscou a defesa e bateu rente a trave esquerda.

A equipe do Jacaré apostava nos chutes de fora para surpreender o arqueiro do Rio Branco. Aos 24’, Victor Rangel arriscou, mas sem sucesso e um minuto depois foi a ver de Bernardo, que fez a bola raspar o travessão.

Aprofundando a jogadas pelas pontas, o Jacaré conseguiu chegar com muito perigo mais uma vez aos 28 minutos. Jefferson Maranhão carregou pela direita e cruzou para Victor Rangel bater para fora de puxeta. Aos 34’, Bernardo tentou novamente o chute de fora e Bambu foi no ângulo para fazer a defesa.

Aos 37’, Jorge Henrique pegou a sobra na cobrança de escanteio e bateu de primeira. A bola pegou efeito e foi saindo do gol com muito perigo. Logo mais, aos 42 minutos, o Brasiliense ganhou uma falta na ponta direita da área, que resultou na expulsão do goleiro Bambu. Na cobrança, Peu bateu em cima do goleiro Diodo.

Pênaltis

Com o apito final, a decisão foi para os pênaltis, e mais uma vez Edmar Sucuri decidiu. O Jacaré converteu tosos as cobranças com Bernardo, Jorge Henrique, Victor Rangel, Jefferson Maranhão e Peu.

Sucuri defendeu o terceiro pênalti, cobrado por Chiquinho, e o 5×3 no final garantiu a classificação do Jacaré.

BRASILIENSE 0 X 0 RIO BRANCO-ES (5×3 pênaltis)

Copa Verde – Primeira fase

13/10/2021, 16h – Boca do Jacaré, Taguatinga-DF

Árbitro: Djonaltan Costa de Araújo-PA

A1: Acácio Menezes Leão-PA

A2: Robson João dos Reis-PA

4º árbitro: Luiz Paulo Aniceto-DF

BRASILIENSE

Edmar Sucuri; Andrezinho, Railon, Liel e Peu; Aldo, Milton Jr (Ferrugem, depois Jorge Henrique). e Alan Mineiro (Bernardo); Tobinha (Kesley), Luquinhas (Jefferson Maranhã) e Victor Rangel

Técnico: Luan Carlos

Cartões amarelos: Peu, Andrezinho, Kesley

RIO BRANCO

Bambu; Gil Mineiro, Léo Alves, Felipe Alves (Emerson) e Jeanderson; Lucas Barboza, Gerley e Edinho (Diogo); Chiquinho, Marquinhos (Tatuí) e Gustavo (Ivan)

Técnico: Cipriano Alexandre

Cartões amarelos: Felipe Alves, Bambu

Cartões vermelhos: Bambu

Vídeos
Últimas notícias