Contratação de Arrascaeta pelo Cruzeiro é alvo de investigação em MG

Polícia Civil apura se o montante das negociações acabou sendo utilizado para beneficiar ex-dirigentes da Raposa e empresários

atualizado 20/09/2021 14:37

De Arrascaeta no CruzeiroBuda Mendes/Getty Images

A Polícia Civil de Minas Gerais abriu um novo inquérito para prosseguir com as investigações que apuram possíveis irregularidades na contratação de Giorgian De Arrascaeta pelo Cruzeiro. A informação foi publicada pelo portal “GE” nesta segunda-feira (20/9).

As autoridades apuram se o montante das negociações acabou sendo utilizado para beneficiar ex-dirigentes da Raposa e empresários. A suspeita é de formação de organização criminosa e apropriação indébita.

Os processos de compra, renovação de contrato e a venda do meia, que hoje atua pelo Flamengo, são investigados desde o ano passado após denúncia. Entre os investigados estão o empresário André Cury, o ex-presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e o ex-vice presidente do departamento de futebol, Itair Machado.

Além das negociações envolvendo o jogador uruguaio, a compra de Orejuela e de outros atletas no período entre 2018 e 2019 são investigadas. Essa nova investigação é um novo capítulo em um inquérito aberto no ano passado que já indiciou ao todo sete pessoas.

Arrascaeta foi vendido ao Flamengo em janeiro de 2019 por 18 milhões de euros. Deste valor, 13 milhões de euros foram destinados a Raposa em troca de 50% dos direitos financeiros do jogador. O resto da quantia foi para o Defensor, do Uruguai, que negociou outros 25% dos direitos do meia, ficando ainda com outros 25%.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Vídeos
Últimas notícias