*
 

Kazan tem o hábito de homenagear os craques do futebol com pinturas em paredes. A de Neymar foi feita às pressas, em um prédio próximo ao do hotel em que a Seleção Brasileira se hospeda para o jogo desta sexta-feira (6/7) contra a Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Foi concluída horas antes de a delegação chegar. Nesse caso, a correria é sinal de prestígio. Afinal, Neymar é um dos jogadores mais reverenciados no torneio da Rússia. Para o bem e para o mal.

O craque brasileiro, criticado mundo afora depois do jogo contra o México pelos que o consideram um simulador contumaz de faltas e defendido ferrenhamente por ex-jogadores do naipe de Ronaldo e Jairzinho, se tornou o principal nome da competição com a saída de Cristiano Ronaldo e Messi – outros que também têm painéis em Kazan. Ele está pronto para assumir o protagonismo.

Neymar voltou a ser Neymar nos dois últimos jogos da Seleção e o técnico Tite acredita que esta sexta será mais um dia para o atacante brilhar – ele que sempre disse que o atleta atingiria a sua melhor forma quando a competição entrasse em sua fase aguda.

“Não preciso ser muito capacitado para dizer que o Neymar teria seu desenvolvimento na Copa. Acompanhamos o trabalho dele, os momentos que ele se privou para investir nessa evolução”, disse nesta quinta (5) Tite, referindo-se ao processo de recuperação da cirurgia feita em março no pé do atacante.

Neymar se solta mais a cada apresentação. Além das arrancadas e dribles, está contribuindo com o time de maneira coletiva. Tem se controlado em campo, reclamado menos com árbitros e rivais – pedido de Tite e conselho de seu pai depois de tomar o cartão amarelo contra a Costa Rica, o que o faz jogar pendurado desde então – e demonstra confiança e vontade de ser campeão do mundo. “Vim aqui para ganhar”, disse o craque no início da semana.

Em boa fase, Neymar é admirado até mesmo pelos adversários. “Ele é habilidoso, não é um ator. Os jogadores que jogam contra Neymar sempre entram duro. Ele tem qualidades que não são normais. No futuro, será o melhor jogador do mundo. Para mim, será uma honra jogar contra ele”, disse o belga Romelu Lukaku, em bom português – aprendeu por conviver há anos com jogadores brasileiros.

Tite estuda a possibilidade de dar ao jogador presente extra. Ainda não está decidido, pois a concorrência de Thiago Silva é grande, mas, se o Brasil avançar até a final, não será surpresa se Neymar for o capitão da Seleção.