Caso Robinho: veja outros atletas envolvidos em abusos físicos ou sexuais

Confira como ficaram as carreiras de outros esportistas que se envolveram em casos semelhantes ao do agora ex-jogador do Santos

atualizado 17/10/2020 8:49

Goleiro BrunoReprodução/Twitter

Na última semana, a polêmica contratação do atacante Robinho por parte do Santos inundou as redes sociais no Brasil. Isso porque o jogador foi condenado em primeira instância por estupro na Itália e grande parte dos brasileiros criticaram a postura do clube, que chegou a divulgar nota defendendo o atleta.

Somente após ter contratos com patrocinadores ameaçados e registros de escutas telefônicas sobre Robinho falando sobre o ocorrido que o clube resolveu rescindir o vínculo com o jogador.

O Metrópoles levantou uma lista de esportistas que se envolveram em casos de abusos sexuais ou físicos contra mulheres e como isso afetou (ou não) suas carreiras.

0

Goleiro Bruno

O assassinato de Eliza Samudio chocou o Brasil. O ex-goleiro do Flamengo foi preso em 2010 acusado de participar da morte da mulher. Bruno foi condenado pelo crime e pelo sequestro de seu filho com Eliza. Até hoje, nega envolvimento no caso.

O jogador de 35 anos teve propostas de clubes do Brasil. Apesar de muitas críticas, o ex-arqueiro do Flamengo conseguiu retomar a carreira.

O goleiro chegou a defender o Boa Esporte e hoje cumpre pena em regime semiaberto pelo crime. Em sua estreia pelo time acreano, chegou a ser cogitado como capitão da equipe, em agosto deste ano, mas após inúmeras críticas o treinador do Rio Branco desistiu da ideia.

Adam Johnson

O meia com passagens pela seleção inglesa foi condenado em 2016 por abuso sexual a uma jovem de 15 anos. Na Inglaterra, mesmo com o consentimento, o ato é considerado crime. Johnson foi condenado a seis anos de prisão. O jogador cumpriu três anos em regime fechado e teve direito a liberdade condicional em 2019.

O jogador, que teve passagem pelo Manchester City, tenta retomar a carreira desde então. Mas, diferentemente do Brasil, os ingleses não têm memória curta. Todos os 92 clubes que disputam as quatro divisões inglesas já anunciaram que não contratarão Johnson.

Em fevereiro deste ano, o Bangor City, time amador da segunda divisão do País de Gales, recorreu à polícia para desmentir um possível acordo com o jogador.

Jerome Boateng

O zagueiro do Bayern de Munique esteve envolvido em um caso de violência doméstica. Em 2018, durante férias com a esposa, o defensor da Seleção da Alemanha é acusado de ter agredido a esposa Sherin Senler com um castiçal de vidro.

Ele prestará depoimento a um tribunal de Munique em 10 de dezembro. Caso seja condenado, Boateng pode pegar até cinco anos de prisão pela agressão.

Kobe Bryant 

O jogador dos Lakers foi acusado de estupro em 2003 por uma funcionária de um hotel. A denunciante afirmou que Kobe a pegou pelo pescoço e a estuprou. O jogador afirmou que o sexo foi consensual. O polêmico caso foi parar nos tribunais.

No fim, as duas partes fizeram um acordo. Kobe ficou com a reputação manchada e perdeu patrocinadores, mas seguiu com a carreira.

Ray Rice

O atleta de futebol-americano teve um vídeo divulgado onde agredia covardemente sua companheira em um elevador. O jogador era considerado um astro da NFL e teve o contrato encerrado com o Baltimore Ravens, praticamente encerrando a sua carreira.

“Não há lugar para a sociedade para homens que batem em mulheres”, disse o time, após rescindir contrato com o jogador.

Oscar Pistorius

O velocista paraolímpico sul-africano foi preso acusado de assassinar a própria namorada em 2013. Em 2014, Pistorius foi julgado e condenado a seis anos de cadeia pela morte da companheira Reeva Steenkamp.

Em 2017, a Justiça aumentou sua pena para 13 anos e cinco meses de reclusão.

Vídeos
Últimas notícias