*
 

O Brasiliense foi eliminado de sua segunda competição nacional em 2018, na noite desta quinta-feira (15/2). Depois de empatar com o Oeste-SP na estreia da Copa do Brasil – o regulamento dava a vantagem do empate aos paulistas –, o Jacaré perdeu para o Atlético-ES, no Mané Garrincha, por 3×2, e está fora da Copa Verde.

Na partida de ida, o atual campeão candango havia perdido por 2×1. Para avançar às quartas de final, era preciso vencer por 1×0. Se fizesse 2×1 sobre os capixabas, o Brasiliense levaria a decisão da vaga para os pênaltis.

Agora, além do restante do Candangão, o Jacaré tem a Série D para disputar. A tabela ainda não foi definida.

“Em um jogo desse tamanho, se dormir, você paga um preço alto. Até de forma surpreendente, a equipe jogou muito abaixo”, reclamou o técnico Rafael Toledo. “Há uma semana vencemos o rival [Gama], e estava tudo bem”.

 

Ansiedade
O Brasiliense entrou com gás. Nunes e Reinaldo estiveram perto de marcar nos primeiros 10 minutos. A vantagem do empate deixou o Atlético-ES mais cauteloso, menos agressivo para atacar o gol de Sucuri. A agressividade sobrou para os jogadores do Jacaré, que sofreram muitas faltas.

Apesar de ter menos posse de bola, o clube capixaba conseguiu fazer 1×0 aos 25 do primeiro tempo, em cobrança de escanteio de Pikachu. Radamés, como se tivesse sofrido um apagão, cabeceou contra o próprio gol.

A partir daí, o Brasiliense precisava fazer mais dois para forçar a disputa de pênaltis. A pressa provocou muitos erros dos atletas do DF. Mesmo assim, aos 39 minutos, Romarinho cruzou forte, rasteiro, e Nunes, oportunista, completou de dentro da pequena área. O banco do Brasiliense todo se levantou e foi à beira do campo comemorar.

O técnico Rafael Toledo, ansioso, andava de um lado para outro, gesticulando, quase pisando o gramado do Mané Garrincha para orientar um a um. Nunes e Patrick quase bateram um lateral ao mesmo tempo, de tanto nervosismo.

Receoso, o Atlético-ES voltou para o segundo tempo ainda mais fechado. O árbitro Andrey da Silva tirou cinco vezes o cartão amarelo do bolso pela demora por parte dos visitantes em repor a bola.

Eraldo decidiu acabar de vez com as esperanças do Brasiliense. Aos 28 minutos do segundo tempo, em um contra-ataque, ele pôs o Atlético à frente. O campeão candango teria de fazer mais três gols em 17 minutos. Quem marcou, porém, foi novamente o Atlético-ES. Aos 34, Eraldo, tranquilo, dentro da pequena área, fez 3×1.

O adeus do Jacaré à Copa Verde foi marcado com um golaço de bicicleta de Souza, aos 42 do último período.

No Candangão
Nesta quinta à tarde, pelo Campeonato Brasiliense, o Samambaia venceu a primeira contra o Paranoá, por 1×0. O líder Sobradinho perdeu pelo mesmo placar para o Real, vice-líder, e o Luziânia bateu o Bolamense por 2×0. À noite, o Gama venceu o Santa Maria de virada, por 5×2.

O Brasiliense volta a atuar pelo torneio local no próximo domingo (18), contra o Paranoá, às 16h, no Mané Garrincha.

FICHA TÉCNICA

BRASILIENSE (2)
Edmar Sucuri; Patrick, Wallace, Badhuga e Mário Henrique; Aldo (Felipe Cirni), Radamés e Souza; Romarinho (Bruno Mota), Reinaldo (Peninha) e Nunes
Técnico: Rafael Toledo

ATLÉTICO-ES (3)
Bambu; Paulinho, Rhayne, Kleber Viana e Marcos Felipe; Vitor (Júnior Santos), Fabiano, Araruama e Zizu; Eraldo (Tanaka) e Pikachu (Franklin)
Técnico: Zé Humberto

Gols: Radamés (contra), aos 25, e Nunes, aos 39 minutos do primeiro tempo; Eraldo, aos 28 e aos 34, e Souza, aos 42 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Paulinho, Marcos Felipe, Bambu, Eraldo e Júnior Santos (Atlético-ES); Aldo e Wallace (Brasiliense)

Público: não divulgado

Árbitro: Andrey da Silva (PA)

Estádio: Mané Garrincha