Após medidas por coronavírus, Fifa estuda 3 opções para Mundial

A nova competição entre clubes pode iniciar somente em 2023, conforme informou o Gianni Infantino

atualizado 17/03/2020 16:46

Gianni Infantino, presidente da Fifaby Valeriano Di Domenico/Getty Images

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, fez pronunciamento, por meio de nota oficial nesta terça-feira (17/03), sobre as medidas tomadas pelas confederações Sul-Americana e Europeia para conter o avanço do coronavírus. O mandatário da entidade máxima do futebol diz compreender as razões para o adiamento da Copa América e da Eurocopa e indicou três opções para realocar o novo Mundial de Clubes.

A competição com 24 times estava agendada para meados do ano que vem (17/06/2021 a 04/07/2021), mas deve ser reposicionada para o fim de 2021 ou até mesmo para 2023.

“No futebol, é imprescindível encontrar soluções adequadas e justas em nível global. Isso requer unidade, solidariedade e um senso de responsabilidade compartilhado. Precisamos pensar em todos aqueles ao redor do mundo potencialmente impactados por nossas decisões”, reconheceu o presidente da Fifa.

Veja os principais pontos do comunicado de Gianni Infantino

– Aceitar os adiamentos da Copa América Conmebol 2020 e da Uefa Euro 2020 para junho/julho de 2021;

– Decidir em fase posterior (assim que houver mais clareza sobre a situação) para quando reagendar a nova Copa do Mundo de Clubes da Fifa, mais tarde em 2021, 2022 ou 2023;

– Discutir com a FA chinesa e o governo chinês o adiamento da nova Copa do Mundo de Clubes da Fifa de 2021, a fim de minimizar qualquer impacto negativo;

– Discutir o impacto dessas mudanças no calendário com as confederações, associações-membros e outras partes interessadas e trabalhar no atual Calendário Internacional de Partidas, com o objetivo de encontrar soluções apropriadas para que todos possam sugerir soluções, assim que as circunstâncias permitirem, esperançosamente antes do final de abril.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias