Embaixador do turismo, Ronaldinho paga multa para recuperar passaporte

O ex-jogador e seu irmão Roberto Assis haviam sido condenados a bancar indenização e reverter os danos causados em uma área de preservação

Bruno Cantini/ Clube Atlético MineiroBruno Cantini/ Clube Atlético Mineiro

atualizado 12/09/2019 18:28

Uma semana exata após ser nomeado pela Embratur como um dos 15 novos embaixadores do turismo para promover o país no exterior, o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho costurou um acordo com o Ministério Público para encerrar um processo por dano ambiental na Justiça do Rio Grande do Sul e reaver o seu passaporte.

De acordo com o site GaúchaZH, Ronaldinho e seu irmão Roberto Assis acertaram o pagamento de uma quantia não revelada, devido ao segredo de Justiça, para recuperar os documentos.

Os irmãos haviam sido condenados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a pagar indenização e reverter os danos causados em uma área de preservação em Porto Alegre (RS). O valor chegava a R$ 8,5 milhões.

O Ministério Público e o advogado da família Assis, Sérgio Queiroz, confirmaram o acordo com a Justiça em entrevista ao GloboEsporte.com. “Basicamente é isso, as partes chegaram a um acordo comum e final de processo. Os dados eu não posso comentar porque fazem parte de segredo de Justiça. O principal é que foi resolvido o processo referente ao dano ambiental. Foi paga uma indenização e o caso foi resolvido”, afirmou Sérgio Queiroz.

Últimas notícias