Dirigentes da NFL são acusados de assédio sexual contra cheerleaders

No total, 25 mulheres denunciaram executivos da equipe de Washington por gravarem imagens de nudez sem consentimento em 2008

atualizado 27/08/2020 16:45

Uma nova denúncia contra executivos do Washington Football Team (antigamente conhecido como Redskins) veio à tona após 15 ex-funcionárias alegarem ter sofrido assédio sexual e abuso verbal enquanto eram empregadas pela franquia. Agora, 25 mulheres que eram cheerleaders (líderes de torcida) da equipe acusam dirigentes de terem gravado imagens de nudez sem que elas tivessem conhecimento em 2008.

A denúncia foi feita pelo Washington Post. O jornal afirma que Daniel Snyder, dono da franquia, teria pedido para que as gravações fossem feitas. Larry Michael, um dos vice-presidentes do time, também estaria envolvido.

“Ele (Larry Michael) disse algo como: “Temos um projeto especial que precisamos fazer para o dono, hoje. Ele precisa que a gente tenha ‘as boas partes’ dos bastidores do vídeo das cheerleaders em DVD, para ele”, afirmou Brad Baker, que fazia parte do staff de Michael à época.

Mais de 100 pessoas foram entrevistadas pelo Washington Post, entre funcionários e ex-funcionários, indicando que Snyder é responsável por uma organização que trata as mulheres de forma discriminatória e exploratória. O dono da franquia negou as acusações.

“Não tenho conhecimento dos vídeos feitos há 10 anos referenciados na história (do Washington Post). Não os pedi e nunca os vi”, afirmou o mandatário.

Vídeos
Últimas notícias