“Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor”, protesta Hamilton na F1

Após vencer o GP da Toscana, o piloto britânico fez questão de usar uma camisa para reforçar a luta antirracista que ganhou força

atualizado 15/09/2020 11:55

Hamilton protesta no pódioReprodução/Twitter

Logo após vencer o GP da Toscana, na casa da Ferrari, o piloto Lewis Hamilton voltou a se manifestar contra o racismo. O único negro a alinhar no grid da Fórmula 1 usou uma camisa com a frase “Arrest the cops who killer Breonna Taylor” (Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor) para lembrar a morte da americana morta a tiros por agentes do Departamento de Polícia Metropolitana de Louisville, em 13 de março de 2020.

Hamilton se tornou uma das principais vozes do esporte na luta contra o racismo. O piloto tem sido voz ativa na luta por igualdade racial, em meio aos recentes casos de violência contra negros nos Estados Unidos.

Antes de conquistar a 90ª vitória na história da Fórmula 1, Hamilton já havia postado em suas redes sociais uma foto com a camisa cobrando justiça por Breoona Taylor. A mulher negra citada pelo piloto britânico foi baleada oito vezes até a morte. Nenhuma droga foi encontrada no apartamento em que ela morava.

O assassinato de Taylor se juntou aos de George Floyd, Elijah Mcclain, Ahmaud Arbery e Trayvon Martin, que têm provocado protestos em todo o mundo em apoio ao Black Lives Matter.

Vídeos
Últimas notícias