Haas pode ter prejuízo de até R$ 4,7 milhões com batida de Schumacher

Segundo Gunther Steiner, chefe da equipe norte-americana, apenas o chassi e o motor não ficaram inviabilizados

atualizado 29/03/2022 14:02

Mick Schumacher, da Haas, se acidentou durante treino classificatório na Arábia Saudita - MetrópolesJoe Portlock - Formula 1/Formula 1 via Getty Images

O acidente de Mick Schumacher durante o treino classificatória do GP da Arábia Saudita, no sábado (26/3), deixou a equipe norte-americana Haas com grandes prejuízos. Segundo Gunther Steiner, chefe da equipe, apenas o chassi e o motor não ficaram inviabilizados. O prejuízo deve variar entre US$ 500 mil e US$ 1 milhão (de R$ 2,3 milhões a R$ 4,7 milhões).

O piloto perdeu o controle do veículo na saída da curva 10, o que fez o carro girar e bater nos muros da curva 11 e 12. Os choques causaram danos nas extremidades do VF-22. Apesar de ter sido liberado do hospital no mesmo dia, Schumacher não correu no domingo (27/3).

“Claro que precisamos de uma checagem apropriada no chassi, mas parece que não está muito ruim, para ser honesto. O motor também. Ouvi da Ferrari que parece ok. A bateria também. Mas todo o resto está quebrado. Acho que o custo será bem alto porque a suspensão foi embora, exceto a dianteira esquerda. Acho que ainda sobrou algo ali. O resto é só pó de carbono”, relatou Gunther.

A preocupação da equipe é que os danos consumam uma parcela significativa do orçamento, uma vez que há uma limitação do teto de gastos na categoria da Fórmula 1. “Você obviamente tem uma contingência ali. Mas se tiver duas ou três (batidas) como essa, rapidamente sua contingência não está mais ali. É uma perda. Você tem apenas que gerenciar. Obviamente esperamos não ter muitas outras”, afirmou ele.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesesportes

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias