*
 

Clara (Bianca Bin) finalmente conseguirá uma das coisas que mais quer desde seu retorno em O Outro Lado do Paraíso: ganhará a guarda de Tomaz (Vitor Figueiredo). Lívia (Grazi Massafera), com quem tem brigado pela custódia há tempos, ficará sem chão. A decisão será tomada pela juíza Raquel (Erika Januza), que já sofreu um atentado de Sophia (Marieta Severo) com o intuito de impedir o julgamento.

Dessa vez, a vilã não estará presente para interferir na decisão. Ela terá sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e não poderá ir ao julgamento. Diante da acusação do advogado Amaral (Sergio Fonta) de que seria injusta uma tomada de decisão sem a presença da atual dona da guarda, Raquel não terá dúvidas ao contestar. “Não tente me ensinar o que é justo, doutor Amaral. Se dona Sophia não pode comparecer à audiência, também não pode manter a guarda do menino”, declarará.

Gael (Sergio Guizé), pai do menino, terá aberto mão da guarda para auxiliar Clara no processo. Lívia, porém, terá entrado com um pedido pela custódia. Ambas irão declarar que seu interesse na guarda nada tem a ver com a posse das esmeraldas, de quem Tomaz é herdeiro. “Minha cliente nunca quis se afastar do filho”, acrescentará Patrick (Thiago Fragoso), que representará Clara no processo.

Lívia defenderá que deve ficar com a guarda pois desde a internação de Clara no hospício tem cuidado do garoto. “Eu sempre cuidei do Tomaz, desde bebê. É como se fosse meu filho. Ele me chama de mãe. Excelência, o que importa é meu amor pelo menino. E o amor que ele tem a mim. Pro Tomaz, eu sou a mãe dele”, dirá à juíza.

A mocinha se irritará com o argumento da ex-cunhada, que auxiliou Sophia em interná-la injustamente. Diante do discurso da loira de que só quer continuar com seu filho, Clara a acusará. “Eu também queria ter visto meu filho crescer. Mas Lívia, você se uniu à sua mãe para me internar naquele hospício. E para roubar o meu filho. É isso que ela fez. Roubou o meu filho quando ainda era bebê.”

Firme, Raquel não permitirá que a vingativa desvie do assunto e pedirá ordem. “Mantenha um bom comportamento neste tribunal”, dirá à Clara. No fim, a juíza optará por entregar Tomaz aos cuidados da mãe biológica, que comemorará. “Meu filho! Vou ter meu filho de volta!”, dirá Clara.

Já a perdedora não saberá lidar com o resultado. “É maracutaia. Você é amiga da Clara. Já tinha decidido o processo antes de entrar nesta sala. Vou recorrer”, gritará Lívia.

“Não vou prendê-la por desacato em respeito ao seu momento de desespero. Eu não decido processos movida pela amizade ou razões pessoais”, responderá Raquel. “A atual responsável pela guarda, Sophia Montserrat, está em tratamento médico. Não sabemos quando e como vai se recuperar. Ainda tem um processo criminal pela frente. A guarda deve ser dada à pessoa que tem um laço de sangue mais forte com o menor. A própria mãe. Recorra quantas vezes quiser. É seu direito. Nenhum juiz tomará decisão diferente”, Raquel dirá, finalizando o assunto.

Clara irá sorrir e abraçar Patrick e Gael, enquanto Lívia chorará e se contorcerá de sofrimento.