Irmão de Dayane cobra atitude da Record contra Nego do Borel

Nas imagens, o cantor tentou beijar a modelo e ela recusou o contato. Pedidos de expulsão por assédio se multiplicaram nas redes sociais

atualizado 18/09/2021 19:31

Nego do BorelReprodução

Na madrugada deste sábado (18/9), o cantor Nego do Borel foi acusado de assediar a modelo Dayane Mello, após a primeira festa da temporada. As redes sociais foram tomadas por pedidos de expulsão do funkeiro, e a hashtag #AssédioNaRecord ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Nego e Dayane dividiam a mesma cama, quando o cantor tentou beijar a vice-campeã do Big Brother italiano, e recebeu um não como resposta. Nas imagens viralizadas na internet, a famosa aparece recusando as investidas e evitando qualquer contato. Ele insistiu, tentando beijá-la, e levou as mãos para a cabeça da participante, que mais uma vez, negou. Ela ainda afastou a mão do funkeiro que tentou tocar seu cabelo por várias vezes.

0

Questionado sobre o ocorrido, Juliano Mello, irmão de Dayane, afirmou que a participante estava em situação de vulnerabilidade por conta do álcool e que gostaria que ela tivesse acesso às imagens para “tomar uma decisão justa”.

“Vendo os vídeos, percebi que minha irmã estava bêbada e que, em alguns momentos, até faltava reação. Não quero acusar ninguém de um crime tão sério como esse. Nossa equipe entrou em contato com a emissora, entre outras providências que estão sendo tomadas, estamos aguardando um retorno”, disse Juliano Mello, em entrevista ao portal Uol.

Juliano ressaltou que está em contato com a Record, e aguarda um posicionamento e uma decisão coerente por parte da emissora.

“Quero que a minha irmã analise as cenas para que seja tomada uma decisão justa. Acompanhando o programa hoje, no 24 horas, está claro que ela não se lembra de muita coisa da festa. Quero contar com o respaldo da emissora, que é uma emissora séria, que conta com patrocinadores sérios, e que não vão acobertar atitudes imorais e criminosas. No momento, não posso dar mais informações por orientações que recebi, mas o que for preciso será feito”, concluiu.

Também ao portal, os advogados de Nego do Borel defenderam que o movimento nas redes sociais pela expulsão do cantor é mais um “julgamento do tribunal da Internet” e “ultrapassa os limites da liberdade de expressão”.

Confira a nota na íntegra:

Em um reality show, as pessoas são expostas como uma forma de entretenimento. Portanto, os direitos fundamentais acabam sendo um pouco mais relativizados, devido à relação contratual existente entre os participantes e a emissora. Ocorre, entretanto, que tal fato não justifica o julgamento externo, principalmente, no  ‘tribunal da internet’ que ultrapassa os limites da liberdade de expressão. Dentro do contexto do reality show, que é feito especialmente para o entretenimento, não se pode atribuir ao artista qualquer falta em qualquer sentido. O que cabe é, somente, uma análise atenta dentro dos princípios legais e da relação contratual que envolve todas as partes, conferindo o aceite das cláusulas e condições para participar do programa”.

Últimas notícias