*
 

O comentarista Walter Casagrande quebrou os protocolos da formalidade esta semana ao chorar, ao vivo, durante o programa Seleção SporTV, do canal pago de esportes. O episódio aconteceu quando o ex-jogador comentava um desabafo do torcedor palmeirense William de Luca sobre os cantos homofóbicos entoados pelas torcidas nos estádios.

“Apoiei e gostei muito”, começou Casagrande, sobre um pedido de William para que as músicas preconceituosas sejam banidas. Ele fez uma relação sobre o preconceito sofrido pelo torcedor e os ataques a ele nas redes sociais por causa do seu histórico com drogas.

A pessoa que está em casa pode achar muito fácil defender ou atacar, porque não sente na pele. Eu sinto na pele porque sou dependente químico. O que me ofendem nas redes sociais, me chamam de viciado, drogado…Não posso falar nada de ninguém por causa do meu passado. Quem sou eu para falar de alguém se fiquei internado. Eu sofro isso diariamente."
Walter Casagrande

Ele já havia tocado no assunto em 2015, quando externalizou que os jogadores gays deveriam ter liberdade para se assumirem para as torcidas. “O homossexual tem em todas as classes e não vejo como um problema, não é um defeito de caráter, é uma opção sexual e deve ter no meio do futebol. O futebol é muito paternalista, é difícil que as pessoas demonstrem ou assumam que são homossexuais. Deveriam. Não há problema algum”, comentou, na época.