Alexandre Garcia fala sobre “lavagem cerebral” após demissão da CNN

Em vídeo publicado no YouTube, o jornalista afirmou que não pode decepcionar "àqueles que foram meus alunos ao longo de todos esses anos"

atualizado 27/09/2021 13:24

Alexandre Garcia CNNReprodução

Alexandre Garcia se pronunciou sobre a demissão da CNN Brasil nesse domingo (26/9). A emissora anunciou, na última sexta-feira (24/9), que rescindiu o contrato com o jornalista após ele defender o tratamento precoce contra a Covid-19 com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada.

Em um vídeo publicado em seu canal no YouTube, Garcia afirmou que foi questionado sobre a CPI da Covid-19, vacinação e tratamento, e que não podia “decepcionar àqueles que foram meus alunos ao longo de todos esses anos”.

0

Ele leu a nota da CNN sobre sua demissão, ficou em silêncio por alguns segundos e depois disse “pois é”.

“Se eu digo uma coisa, eu tenho que praticar. E eu tenho dito: pensem com a sua cabeça (…) não permitam que professores façam uma lavagem cerebral em você, não permita que o medo dos seus colegas faça com que você se encolha”, disse.

“Você pode até me contrariar, é normal. O que não pode ser normal é que a pessoa seja um rebanho, acéfalo, sem pensamento”, completou. Na publicação, o comunicador, que era comentarista do quadro Liberdade de Opinião, do programa Novo Dia na CNN, não falou especificamente do tratamento precoce.

Ao final da fala, Garcia afirmou que estava vestindo uma camisa que tem mais de 35 anos e um relógio que tem 50 anos. “Será que isso é conservadorismo? E é bem simbólico: está novo, usa-se, está bonito. Meu avô era conservador e vivia pesquisando coisas novas. Então, é isso, não é ficar preso ao passado, é ter os valores do passado, a beleza do passado, a funcionalidade das coisas do passado e sempre buscar novidade, inovação, progresso”.

Logo no começo do vídeo, o jornalista ainda deu boas-vindas aos “quase 200 mil novos seguidores”, que ele afirma ter ganhado desde que a CNN anunciou sua demissão.

Entenda

Na  sexta, a CNN voltou a desmentir Alexandre Garcia, após o comentarista citar a Prevent Senior e afirmar que o chamado “kit covid” salvou milhares de vidas. A administradora de planos de saúde é alvo de investigações no MP, na Polícia Civil e na CPI da Covid por supostamente pressionar seus médicos conveniados a tratar pacientes com remédios sem eficácia comprovada como hidroxicloroquina, contraindicada para a Covid-19.

“Os tais remédios sem eficácia comprovada salvaram milhares de vidas sendo aplicados imediatamente, mesmo antes do resultado do teste. É na fase 1, na fase 2 às vezes evitam hospitalizações. Na fase 1, sempre evitam hospitalizações, sempre evitam sofrimento. Na fase 3 são ineficazes, depois que a pessoa já está hospitalizada ou intubada. […] Essa questão de eficácia comprovada a gente só vai saber daqui uns três anos. Agora tudo é experimental”, disse Alexandre Garcia.

Ao final da participação de Alexandre, a apresentadora Elisa Veeck desmentiu a fala e reforçou que as opiniões dos comentaristas da CNN não refletem a posição da emissora.

“Reitero sempre para vocês que nos acompanham que as opiniões emitidas pelos comentaristas do quadro não refletem necessariamente a posição da CNN. E mais um acréscimo aqui neste fim do quadro de hoje, a CNN ressalta que não existe um tratamento precoce comprovado cientificamente para prevenir a Covid-19. O que a ciência mostra é que a prevenção, com o uso de máscaras e a vacinação, são as únicas maneiras de combater a pandemia”, corrigiu Veeck.

Mais lidas
Últimas notícias